TCU conclui auditoria de urnas eletrônicas do primeiro turno e não encontra erros

Funcionários da Justiça Eleitoral preparam urnas eletrônicas em Porto Alegre

BRASÍLIA (Reuters) - O Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu a auditoria dos boletins de urnas realizada no primeiro turno das eleições no início do mês e não encontrou qualquer erro na totalização dos votos realizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informou neste domingo o presidente em exercício do órgão, Bruno Dantas.

“Auditores do TCU concluíram o processamento e cruzamento de dados extraídos de 4.162 boletins de urna, recebidos em meio físico, e comparados com a base de totalização do TSE. São mais de 5,8 milhões de votos auditados e o resultado foi zero divergência”, afirmou Dantas em redes sociais.

Ao todo, o país tem 472.075 seções eleitorais -- cada seção corresponde a uma urna. Após o encerramento da votação, cada urna imprime um boletim onde constam todos os votos depositados naquela seção. Esses boletins também ficam à disposição da população na internet.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição que enfrenta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno neste domingo, com frequência afirma, de forma incorreta, que as urnas não são auditáveis e alega, sem apresentar provas, que houve fraude nas eleições de 2014 e 2018, o que já foi rechaçado pelo TSE.

Bolsonaro aparece atrás de Lula nas pesquisas de intenção de voto para o pleito deste domingo.

Na quinta-feira, Dantas teve um encontro com o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, para apresentar o painel da auditoria dos boletins de urna publicado no site da corte de contas, e disse que o trabalho também foi mostrado a observadores eleitorais da Organização dos Estados Americanos (OEA) que acompanham a eleição.

“Deixa claríssimo para a população não só que as urnas são auditáveis, mas que também a auditoria está sendo feita e os resultados são visíveis para todos", afirmou Dantas na ocasião.

(Por Bernardo Caram)