TCU não encontrou erros em 560 boletins de urnas do 1º turno das eleições

Os boletins são como “extratos” emitidos por cada urna após o término da votação, com um resumo dos votos que foram registrados ali. Segundo o TCU, não houve erro. (Foto: Getty Images)
Os boletins são como “extratos” emitidos por cada urna após o término da votação, com um resumo dos votos que foram registrados ali. Segundo o TCU, não houve erro. (Foto: Getty Images)
  • TCU não encontra erros em 560 boletins de urna auditados;

  • Boletins contém resumo de votos para senador, governador e presidente;

  • Presidente do Tribunal afirma que resultado evidencia "transparência do sistema eleitoral brasileiro".

O Tribunal de Contas da União (TCU) informou que não encontrou nenhum erro nos 560 boletins de urna analisados. O processo foi feito para conferir os votos para os cargos de senador, governador e presidente.

Segundo Bruno Danas, ministro e presidente do TCU, a auditoria foi iniciada no domingo (2), dia do primeiro turno das eleições, e finalizada na segunda-feira (3). "O processo de conferência de votos por candidato para os cargos de senador, governador e presidente não registrou nenhuma inconsistência de dado incorreto", afirmou, acrescentando que o resultado “evidenciou, uma vez mais, a transparência do sistema eleitoral brasileiro".

Inicialmente, o tribunal iria checar 540 boletins de urna, mas os auditores colheram 20 a mais nos estados. Esses boletins são como “extratos” emitidos por cada urna após o término da votação, com um resumo dos votos que foram registrados ali.

O resultado da eleição depende da soma desses boletins, que é feita de forma automática pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e sem interferência humana. Uma versão digital desses boletins é transmitida aos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) quando as urnas são fechadas, por meio de uma rede privativa de internet da Justiça Eleitoral. Há também cópias impressas que ficam nas seções eleitorais para conferência dos interessados.

Uma outra checagem será feita pelo TCU com 4.161 boletins de urna impressos – enviados pelos Correios ao Tribunal. O resultado deve sair em novembro.

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.