Tebet defende auxílio fora do teto de gastos em 2023

Simone Tebet e Lula (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Simone Tebet e Lula (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

A senadora Simone Tebet (MDB) defendeu nesta quarta-feira (16) que os recursos para o Auxílio Brasil, que voltará a ser chamado de Bolsa Família, fiquem fora do teto de gastos do próximo ano.

No entanto, ela cobrou compromissos fiscais para que a ultrapassagem da âncora fiscal dure até 2026.

“Se for por quatro anos, que se faça o dever de casa. Que se fale ‘eu vou gastar mais nos próximos quatro anos para dar pão a quem tem fome, mas vou assumir compromissos de enxugar a máquina, aprovar reformas estruturantes que façam a economia voltar a crescer’”, disse Tebet.

A declaração da terceira colocada na disputa à Presidência aconteceu durante entrevista à CNN Brasil. Ela falou, ainda, sobre a importância de equilibrar a responsabilidade social com a fiscal.

“Sabemos que responsabilidade fiscal não é um termo só que os liberais têm como mantra, na realidade a responsabilidade fiscal é um meio para se alcançar o social”, falou.

“Se não tivermos o mínimo de responsabilidade com o dinheiro público, podemos estar dando o Auxílio Brasil e tirando com uma inflação galopante, com juros altos que vai impactar na paralisação da economia e, com isso, mais desemprego ou mais empregos formais indo para a informalidade”, acrescentou.

Simone Tebet faz parte da equipe de transição de Lula, como coordenadora da área de Desenvolvimento Social.