Tebet promete 'revogaço' dos decretos de Bolsonaro sobre armas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Simone Tebet prometeu um 'revogaço' dos decretos de Bolsonaro que flexibilizam acesso às armas de fogo no Brasil. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
Simone Tebet prometeu um 'revogaço' dos decretos de Bolsonaro que flexibilizam acesso às armas de fogo no Brasil. (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A senadora Simone Tebet, candidata a presidente pelo MDB, prometeu um “revogaço” dos decretos do governo de Jair Bolsonaro (PL) que flexibilizaram o acesso às armas de fogo no país.

Em reunião com o grupo Derrubando Muros, realizada nesta terça-feira (2), a presidenciável ainda se comprometeu com medidas econômicas sustentáveis, como um agronegócio “parceiro do meio ambiente”, além de acabar com o desmatamento ilegal das florestas.

"A maior parte das drogas e armas não é fabricada pelos grandes centros, elas vêm do meu Estado (o Mato Grosso do Sul), vêm das fronteiras. E já adianto que a gente tem falado em um 'revogaço' dos decretos do presidente sobre armas", disse Simone ao grupo.

“Vários decretos do presidente estão suspensos ‘na raça’ pela bancada feminina do Senado Federal”, atribuiu Tebet.

A candidata afirmou que, se eleita, vai recriar o Ministério da Segurança Pública e reforçar o monitoramento das fronteiras, além de investir em serviços de informação das forças de segurança.

A emedebista também mencionou a melhoria do sistema carcerário para que os detentos “não saírem piores do que entraram”, disse.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Simone falou sobre a confirmação da chapa com a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) e reforçou que não cogita desistir da corrida eleitoral. Ela espera crescer nas pesquisas eleitorais dentro desses dois meses que antecedem o primeiro turno.

Tebet ainda criticou o “salto alto” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que, segundo ela, tenta se perpetuar na política como o ex-presidente argentino Juan Domingo Perón. Já Bolsonaro, segundo a candidata, não tem chances de ser reeleito.

Durante a reunião com o grupo Derrubando Muros, Simone reiterou que é favorável ao desenvolvimento sustentável.

“Eu falo em desmatamento ilegal zero. Os órgãos de segurança têm de ir para dentro do nosso Cerrado, das nossas florestas, para combater o desmatamento ilegal", apontou. Segundo a presidenciável, os produtores do agronegócio das regiões Sul e Centro Oeste enfrentaram prejuízos de até R$ 60 bilhões nos últimos dois anos com as mudanças climáticas.

O Derrubando Muros entregou à equipe da candidata 'Uma agenda inadiável para mudar o Brasil', documento elaborado por mais de 30 especialistas em políticas públicas. Outros candidatos à Presidência também foram convidados pelo grupo para debates, mas ainda não há datas confirmadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos