Técnica de enfermagem é condenada por fingir aplicação de vacina

·2 minuto de leitura
Técnica de enfermagem foi demitida em Votuporanga (SP) após fingir aplicar vacina da Covid-19 em idoso
Técnica de enfermagem foi demitida em Votuporanga (SP) após fingir aplicar vacina da Covid-19 em idoso
  • Uma técnica de enfermagem foi flagrada fingindo aplicar a vacina contra a Covid-19 em Votuporanga (SP)

  • A Justiça condenou profissional por improbidade administrativa

  • A família da vítima registrou o momento em que a mulher fingiu aplicar o imunizante

A Justiça de São Paulo condenou por improbidade administrativa uma técnica de enfermagem que foi flagrada fingindo aplicar a vacina contra o coronavírus em um idoso, em Votuporanga (interior paulista). A profissional pode recorrer da sentença. As informações são do portal G1.

De acordo com o Tribunal de Justiça, as penas aplicadas foram de multa correspondente a duas vezes o valor da última remuneração; suspensão dos direitos políticos por três anos; e proibição de contratar ou receber incentivos do Poder Público por igual período.

Leia também

Segundo o juiz Reinaldo Moura de Souza, a funcionária foi negligente no exercício de suas funções e a conduta configura em improbidade. "O desrespeito aos princípios da administração pública é evidente e ultrapassa a mera inabilidade, despreparo ou incompetência", afirmou.

"Não há dúvida de que a ausência do produto poderia ter causado prejuízo à saúde do idoso, que deixaria de ser imunizado”, frisou. “Este tipo de conduta é desprezível, censurável e jamais pode ser aceita pelo cidadão pagador de impostos, tampouco pode ser tolerada pela administração pública", prosseguiu.

O caso foi registrado em 3 de março de 2021, no Consultório Municipal Jerônimo Figueira da Costa Neto, onde a profissional exercia as funções pela Santa Casa de Misericórdia de Votuporanga.

Um vídeo feito pela família do idoso mostra o momento em que a mulher fingiu aplicar o imunizante. A técnica de enfermagem foi demitida no mesmo em dia em que o caso veio à tona.

Na época, a Secretaria de Saúde de Votuporanga informou que o caso foi isolado e que reforçou as orientações à equipe, determinando que o profissional de saúde deve mostrar a seringa cheia antes da aplicação e vazia após o procedimento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos