Tecnologia torna a casa inteligente e pode ajudar a reduzir despesas

Camilla Muniz
1 / 2

38815092_16072004 - Fabio Seixo - EXCLUSIVO - RG - Casa Inteligente Luís dono da High End empres.jpg

Casa inteligente pode ajudar a reduzir despesas domésticas

Investir em tecnologias "smart" para o lar, além de tornar a casa inteligente e mais confortável, pode ser de grande ajuda para reduzir despesas domésticas. Aparelhos de ar-condicionado, televisores, geladeiras e lavadoras de roupas modernos são eletrodomésticos cujas funções auxiliam na economia de energia elétrica e água, por exemplo. Modelos de tomadas e lâmpadas também contribuem para baratear a conta de luz. Ainda há sistemas de automação que podem ser instalados na residência e incrementar a diminuição de custos.

O servidor público Jeovani Henrique de Oliveira, de 54 anos, trocou quatro tomadas comuns de sua casa — duas na sala e duas no quarto — por tomadas inteligentes, que podem ser comandadas à distância por um aplicativo de celular. Oliveira é um dos "caçadores de ofertas" do "Qual oferta", plataforma dos jornais EXTRA, O Globo e Expresso que reúne, no impresso e no digital, as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio.

Qualquer eletrodoméstico conectado às tomadas inteligentes pode ser ligado ou desligado com um simples toque na tela do telefone. Como tem o costume de pegar no sono com as luzes acesas, o morador de Copacabana, na Zona Sul do Rio, plugou duas lâmpadas nessas tomadas e faz a programação eletrônica para que elas apaguem após determinado período.

A cafeteira, que normalmente ficava em stand by quando Oliveira saía de casa, é outro aparelho conectado à tomada inteligente. Do trabalho, ele liga e desliga a cafeteira quando quer. Com isso, já chega do expediente com o café pronto, e ainda economiza energia elétrica.

— A gente sabe que a quantidade de aparelhos deixados em stand by gera um gasto no fim do mês. É algo que as pessoas, em geral, desprezam, mas mudar isso reduz  bem a conta de luz — diz Oliveira.

Aparelhos de ar-condicionado com wi-fi e sistema inverter, que faz o motor trabalhar mais próximo da temperatura de conforto, gastam menos energia e permitem maior controle do consumo. Graças à conexão do equipamento com a internet, o usuário pode programá-lo para ligar ou desligar à distância — e interromper o funcionamento caso o esqueça trabalhando, por exemplo. Outra vantagem é a chance de verificar o gasto médio de eletricidade, o que ajuda a planejar o uso do eletrodoméstico.

Geladeiras do tipo "smart" informam se os alimentos estão próximos do vencimento, o que evita desperdícios. Também permitem o desligamento de parte do aparelho que não esteja sendo utilizada, como o freezer, para reduzir o consumo de energia. Televisores são outros que podem receber comandos por aplicativos e ter a atividade suspensa depois que o usuário dormiu.

Já as lavadoras de roupas inteligentes possibilitam economia de água, eletricidade e produtos de limpeza. Por disporem de sensores e programações diferenciadas, essas máquinas conseguem ser mais eficientes e otimizar a utilização de recursos.

Leia ainda:

— Elas podem, inclusive, melhorar as decisões que nós tomamos e nos fazer mudar a quantidade de vezes que colocamos o equipamento para funcionar. Nossas escolhas não necessariamente são as mais econômicas — ressalta o pesquisador sênior na área de direitos e tecnologia do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio) Christian Perrone.

Instalação de acordo com a necessidade

Além dos eletrodomésticos, há sistemas de automação que tornam a casa mais inteligente e auxiliam na contenção de despesas. É possível instalar sensores que detectam a luminosidade natural e, a partir disso, controlam a abertura das cortinas e o funcionamento da iluminação artificial da residência. Luzes automáticas, que acendem só na presença de alguém, são outros dispositivos que ajudam a economizar — lembrando que lâmpadas LED gastam menos energia do que as incandescentes.

— O legal da automação é a flexibilidade. Os sistemas podem ser instalados de forma progressiva, de acordo com a necessidade. Não é preciso fazer tudo de uma vez. E como deixar a casa mais econômica a transforma em um ambiente mais comforável, consegue-se unir o útil ao agradável — enfatiza o diretor executivo da Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside) José Roberto Muratori.