Base de telefonia celular do Brasil recua quase 6% em fevereiro sobre um ano antes

SÃO PAULO (Reuters) - O número de linhas móveis ativas no Brasil em fevereiro caiu quase 6 por cento sobre o mesmo mês do ano passado, para 242,92 milhões, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A queda representa uma perda de 15,14 milhões de acessos no período, em meio a reduções de base em três das quatro maiores operadoras do país: TIM, Claro e Oi. A Vivo foi a única das quatro maiores a apresentar crescimento, de 0,89 por cento, para 73,91 milhões de linhas ativas.

A Oi registrou perda de 5,756 milhões de acessos, ou 12 por cento, para 42 milhões de linhas.

Enquanto isso, a TIM teve redução de 5,187 milhões de linhas, queda anual de 7,7 por cento, para 62,132 milhões. A Claro teve baixa de 5,218 milhões de linhas em sua base de telefonia celular, redução de 7,98 por cento, a 60,216 milhões.

Já a Nextel, que está na quinta posição entre as operadoras do país, teve crescimento de 5,99 por cento na base, para 2,626 milhões de acessos.

As operadoras virtuais Porto Seguro e Datora, por sua vez, tiveram expansões significativas, com expansões de 33 e 127 por cento em suas bases de linhas ativas em fevereiro sobre um ano antes, segundo os dados da Anatel.

(Por Alberto Alerigi Jr.)