Telescópio James Webb da Nasa é atingido por meteorito e será ajustado

Um micro meteorito atingiu o espelho principal do telescópio espacial James Webb, da Nasa. O dano não vai limitar o desempenho da missão, mas os engenheiros da agência espacial vão precisar ajustar o posicionamento do segmento de espelho afetado. Uma análise indica que o incidente ocorreu entre os dias 23 e 25 de maio, no segmento de espelho conhecido como C3, uma das 18 partes que compõem o refletor primário de 6,5 metros de largura do Webb.

Guerra na Ucrânia: Adolescente vira 'herói' após pilotar drone em ataque que destruiu comboio russo

O Webb foi lançado em dezembro para suceder o telescópio Hubble, revolucionário nos anos 1990, mas que agora já está com a estrutura envelhecida. Os primeiros registros do universo feitos pelo novo aparelho serão divulgados no dia 12 de julho.

Acidente: Queda de avião militar deixa um morto e feridos na China

A velocidade com que tudo se movimenta no espaço significa que até as menores partículas podem transmitir muita energia ao colidir com outro objeto. Webb já foi atingido cinco vezes, sendo o evento mais recente o mais significativo. De toda forma, a situação já era prevista e influenciou a escolha dos materiais, componentes e modos de operação do telescópio.

— Sempre soubemos que Webb teria que resistir ao ambiente espacial, o que inclui ataques ocasionais de micrometeoróides em nosso Sistema Solar — disse à BBC, Paul Geithner, vice-gerente técnico de projetos do Goddard Space Flight Center da Nasa — Nós projetamos e construímos o Webb com margem de desempenho óptico, térmico, elétrico e mecânico para garantir que ele possa cumprir sua ambiciosa missão científica mesmo depois de muitos anos no espaço.

Na Justiça: Líder de megaigreja mexicana La Luz del Mundo é condenado a 16 anos de prisão por abusar de menores

O processo da concepção ao lançamento do Webb durou 25 anos e custou cerca de US$ 10 bilhões às agências espaciais americana, europeia (ESA) e canadense. A longo prazo, os cientistas pretendem usar o telescópio para tentar ver as primeiras estrelas a iluminar o cosmos há mais de 13,5 bilhões de anos e analisar atmosferas de planetas distantes para avaliar se podem ser habitáveis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos