Tem Saída: o projeto que emprega mulheres vítimas de violência doméstica

·1 minuto de leitura
Female feet with arrow painted on the asphalt
Mulheres ingressam no programa via autoridades de Justiça
  • Projeto Tem Saída viabiliza contratação de mulheres vítimas de violência doméstica

  • Mais de 160 mulheres foram empregadas

  • 25 empresas privadas fazem parte do programa

Tem saída. Esse é o nome do programa social que emprega mulheres vítimas de violência doméstica. A iniciativa é fruto uma ação conjunta da prefeitura de São Paulo e de órgãos da Justiça.

Atualmente, 160 mulheres da capital já foram contratadas por uma das 25 empresas parceiras do projeto, responsáveis por viabilizar as vagas para as vítimas atendidas. Outras 829 já estão inscritas no programa.

Leia também:

Como funciona o programa

O encaminhamento dessas mulheres é feito pelas autoridades que as socorrem do agressor. Ao denunciarem e passarem por todas as providências legais e de apoio emocional, elas são direcionadas ao processo seletivo.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, além das 160 mulheres que foram empregadas por empresas parcerias do Tem Saída, outras 240 se encontram em outras empresas.

O projeto foi criado em 2018 e tem como objetivo trazer autonomia para as vítimas de violência doméstica – seja física, psicológica, moral, sexual ou patrimonial.

Para 88% das mulheres paulistas, a violência doméstica contra elas tem aumentado em São Paulo nos últimos quatro anos. Os dados são de uma pesquisa encomendada pela Associação Paulista de Magistrados (Apamagis) e divulgada por Monica Bergamo nesta segunda-feira, 20.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos