Temas centrais do Fórum de Davos 2019

1 / 3
A jovem sueca Greta Thunberg, em Davos, em 25 de janeiro de 2019

Do clima às perspectivas econômicas, passando pela crise política na Venezuela, esses são os principais temas que foram abordados na edição de 2019 do Fórum Econômico Mundial de Davos, que se encerra nesta sexta-feira (25).

URGÊNCIA CLIMÁTICA

- "Nossa casa está em chamas. Não quero sua esperança, quero que sintam pânico". Frase de Greta Thunberg, adolescente sueca de 16 anos cuja mobilização contra a mudança climática inspira jovens de todo o mundo. Seu discurso abalou um auditório repleto de empresários e líderes políticos no último dia do fórum.

- "A mudança climático anda mais rápido que nós, estamos perdendo a corrida e poderia ser uma tragédia para o planeta" - António Guterres, secretário-geral da ONU, fez um chamado para a elite política e econômica mundial agir e fazer mais para o planeta.

- "Acho que as pessoas estão começando a se dar conta de que não podem fazer negócios em um planeta morto. Vou embora de Davos com mais esperança do que quando cheguei" - Christina Figueres, fundadora da ONG Global Optimism.

DESACELERAÇÃO DA ECONOMIA MUNDIAL

-"Por fim, depois de dois anos de sólida expansão, a economia mundial está crescendo mais lentamente que o esperado e os riscos estão aumentando" - Disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), no primeiro dia do fórum.

- "A previsão é de 6,6%. Acho que é uma cifra significativa, não é nada baixa" - Frase do vice-presidente chinês Wang Qishan para acalmar temores de desaceleração da economia chinesa, a segunda maior do mundo, que preocupa sobretudo os países emergentes.

CRISE NA VENEZUELA

- "O que esperamos é que o diálogo seja possível e evitar uma escalada que nos levaria a um tipo de conflito que poderia ser um desastre para o povo da Venezuela e para a região" - Frase do secretário-geral da ONU, António Guterres.

Em Davos, Colômbia, Brasil, Peru e Canadá fizeram uma declaração reconhecendo o chefe parlamentar Juan Guaidó como presidente interino do país.

O presidente da Colômbia, Iván Duque, prometeu que seu país acompanharia "este processo de transição para a democracia para que o povo venezuelano se liberte da ditadura".

- "Não queremos uma América bolivariana como até há pouco tempo existiu (...) A esquerda não prevalecerá nesta região. O que é muito bom, no meu entender, não só para a América do Sul, mas também para o mundo" - Disse Jair Bolsonaro.

- "A Venezuela tem um longo caminho à frente, a Venezuela tem que ser reconstruída, refundada, repensada, refeita" - Moisés Naím, escritor e jornalista venezuelano, que foi ministro o governo de Carlos Andrés Pérez (1989-1993).

DESIGUALDADES CADA VEZ MAIORES

"As desigualdades extremas estão descontroladas" - Disse a diretora da ONG Oxfam, Winnie Byanyima.

- "O capitalismo não é imoral, é amoral. O capitalismo tirou mais gente da pobreza que qualquer outro 'ismo', mas é uma besta selvagem que, se não for domesticada, pode devorar muitas pessoas no caminho" - Afirmação de Bono, cantor do U2 e cofundador da campanha One Bono.

PARA QUE SERVE DAVOS?

- "Em Davos, é como se instalássemos espreguiçadeiras no passadiço do Titanic enquanto a humanidade se afunda" - Afirmou o secretário-geral da Anistia Internacional, Kumi Naidoo, questionando a utilidade do fórum.

- "Podemos criticar o Fórum por ser uma reunião de ricos, mas a realidade é que em dois te permite ver o presidente afegão, o chanceler austríaco, o presidente da Sérvia, falar com a chanceler alemã Angela Merkel e ser tão eficiente quanto se passasse seis meses viajando pelo planeta" - Disse um alto responsável europeu.