Temer diz que Bolsonaro seria reeleito se tivesse combatido pandemia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil
  • Michel Temer
    Advogado, professor e político brasileiro, 37.º presidente do Brasil
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  30-10-2018, 12h00: O presidente Michel Temer durante audiência com o governador eleito do Pará (PA) Helder Barbalho (MDB) e seu pai, o senador Jader Barbalho (MDB-PA), no palácio do planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 30-10-2018, 12h00: O presidente Michel Temer durante audiência com o governador eleito do Pará (PA) Helder Barbalho (MDB) e seu pai, o senador Jader Barbalho (MDB-PA), no palácio do planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS) - O ex-presidente Michel Temer (MDB) afirmou que Jair Bolsonaro (PL) teria uma reeleição certa em 2022 se tivesse unificado o enfrentamento da pandemia da Covid-19.

"Se logo no início ele tivesse ido atrás de combater a pandemia com os estados e partidos, hoje ninguém tiraria a eleição dele", disse Temer em entrevista à CNN.

Na análise do ex-presidente, a postura de Bolsonaro contra a vacina, especialmente para crianças, mostra falta de "raciocínio pragmático" de buscar votos além da sua base de apoio.

"O que ele tem feito é afastar aqueles que são a favor da vacinação, que tem se mostrado importante. Foi um equívoco do presidente combater a vacina", disse.

Sem dizer o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Temer alertou que "levar [eleição] no primeiro turno não é fácil". O emedebista também disse ser muito cedo para acreditar que pesquisas de intenção equivalem à vitória do pleito.

"Ao longo da campanha vão surgindo tantas objeções, não sei se o candidato hoje com 40% se mantém nesse patamar", disse. Segundo a última pesquisa Datafolha, divulgada em dezembro, Lula lidera com 48%, seguido por Bolsonaro, com 22%.

A pesquisa foi realizada de 13 e 16 de dezembro com 3.666 pessoas com mais de 16 anos, presencialmente em 191 cidades do país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

"Com o país dividido como está, em grupo Lula, Bolsonaro e terceira via, é difícil ter eleição em primeiro turno", reforçou.

Perguntado se já chegou a conversar com Lula sobre as eleições de 2022, Temer afirmou ter sido contatado por um intermediário, mas que apoia integralmente a pré-candidata de seu partido, Simone Tebet.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos