Temer diz que 'não houve condicionantes' em conversa entre Bolsonaro e Moraes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ex-presidente Michel Temer divulgou uma nota nesta terça-feira afirmando que "não houve condicionantes" na conversa que ele intermediou entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Alexandre Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), em setembro do ano passado. A declaração de Temer ocorre em resposta a uma fala de Bolsonaro de que Moraes não teria cumprido o que foi combinado na ocasião.

Entenda: Bolsonaro diz que Moraes não cumpriu acordo costurado por Temer após 7 de Setembro

Veja também: Ao comentar críticas de Bolsonaro, Fachin diz que Justiça Eleitoral responde ataques com 'informação' e 'fatos'

"Não houve condicionantes e nem deveria haver pois tratávamos ali de fazer um gesto conjunto de boa vontade e grandeza entre dois Poderes do Estado brasileiro. Mais do que nunca, o momento é de prudência, responsabilidade, harmonia e paz", disse o ex-presidente.

No texto, Temer afirma ter o "dever de esclarecer" que foi a Brasília naquele momento "com o objetivo de ajudar a pacificar o país" e que "as conversas se desenvolveram em alto nível como cabia a uma pauta de defesa da democracia".

Ao vivo: STF decide se mantém decisão de Nunes Marques que devolveu mandato a bolsonarista

Eleições: Deltan Dallagnol lança vaquinha eleitoral e cita porte de arma como bandeira da pré-campanha

Em setembro, o ex-presidente intermediou uma conversa entre os dois com o objetivo de tentar estabelecer uma trégua no conflito institucional entre Executivo e Judiciário. Na época, Bolsonaro afirmou que não iria mais cumprir decisões de Moraes. Após a conversa entre os três, o presidente publicou uma nota — escrita por Temer — afirmando que as declarações "decorreram do calor do momento".

Nesta terça-feira, em entrevista ao SBT News, Bolsonaro afirmou que eles combinaram "certas coisas" que não teriam sido cumpridas pelo ministro.

Leia: Após Lula prometer revogação do teto de gastos, Bolsonaro admite mexer 'uma coisa ou outra' em 2º mandato

Saiba mais: Após reunião com TSE, representantes do Telegram se encontram com Bolsonaro

— Estava eu, Michel Temer e um telefone celular na minha frente. Ligamos para o Alexandre de Moraes. Conversamos três vezes com ele. E combinamos certas coisas para assinar aquela carta. Ele não cumpriu nenhum dos itens que combinei com ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos