Temer diz que reforma trabalhista pode ter salvaguardas à terceirização

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira (4) que o projeto de reforma trabalhista poderá incluir salvaguardas ao trabalhador que não foram contemplados no projeto de terceirização, aprovado na Câmara na semana passada e sancionado em seguida pelo Planalto.

Temer não especificou sobre qual salvaguardas se referia. Disse, contudo, que não há nada em vista ainda, mas que haverá chance de se aumentarem pontos na legislação em favor dos trabalhadores durante o debate da reforma trabalhista.

O presidente disse que a lei da terceirização representa a modernização das relações de trabalho e defendeu que ela não retira direitos dos trabalhadores.

Ele lembrou que foi vetado o artigo da lei que permitia às empresas a contratarem temporários por mais de nove meses. Temer justificou que o artigo feriria a Constituição.

"[A terceirização] não prejudica minimamente. Se houver necessidade de salvaguardas, outras que não estejam no projeto, nós faremos. Por enquanto, pelo que eu pude verificar, não precisa, mas se houver nós faremos", disse.

Temer participou na tarde desta terça-feira da LAAD (Latin America Aero e Defense), feira do setor de defesa e segurança, no Rio.