Temos juntos 80% das Executivas, diz Tasso ao anunciar apoio a Leite

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) anunciou nesta terça-feira, no Insituto Teôtonio Vilela, em Brasília, o apoio à candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias do partido que irão definir o postulante à Presidência em 2022.

- Eu não sou mais candidato, mas isso não quer dizer que eu não vou estar na luta. A pessoa que representa hoje o PSDB legítimo, histórico e o do futuro é o governador Eduardo Leite e continuo na luta para fazer esse homem o candidato do partido - afirmou Jereissati ao lado do governador.

Com o anúncio, o parlamentar abre mão formalmente da sua candidatura nas prévias, decisão que já era esperada e ventilada internamente na sigla desde o meio do ano. Em seu discurso, Jereissati aianda destacou que, no mundo da política, é preciso ter uma "visão pragmática" e que Leite tem mais "juventude, dinamismo e força de vontade" do que ele - "homem de mais de 70 anos".

- Chegamos à conclusão muito simples de que um de nós tinha que abrir mão - completou.

O senador, que já foi governador do Ceará por três mandatos e presidente do PSDB, ainda alardeou que os seus aliados somados aos de Leite rendem um apoio de 80% das Executivas nos estados. - Não estou exagerando. Quem conhece sabe bem disso - completou.

Além de ser um nome de peso dentro do tucanato, Tasso também deve trazer consigo os filiados do Ceará ("apoio óbvio", segundo ele) e influenciar outros colegiados do PSDB no Nordeste, cuja disputa ainda está em aberto com o governador de São Paulo João Doria. Até agora apenas o diretório da Bahia se pronunciou na região, o da Bahia, a favor do político gaúcho.

Em seu discurso, Eduardo Leite agradeceu ao apoio de Tasso disse que isso o "enche de expectativa" nas prévias e que a "política não é sobre quem pensa em si, mas quem pensa nos outros". Ele ainda frisou que está há 20 anos no partido e que a sua campanha será marcada pela "união, convergência e endendimento".

- O que o Brasil precisa não é de um terceiro polo de radicalização, mas de uma terceira via e um caminho alternativo. Não podemos entrar nesse processo eleitoral com as mesmas ferramentas daqueles dois que insistem num enfrentamento - afirmou o governador, referindo-se ao presidente Jair Bolsonaro e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estão na frente nas pesquisas eleitorais para presidência.

A saída de Tasso das prévias não representou nenhuma surpresa para os tucanos. Diferente de Doria e Leite, ele não vinha viajando os estados para visitar os diretórios e focou a sua curta campanha na realização de videoconferências e atividades internas. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já havia, inclusive, confidenciado que o senador não disputaria as prévias em prol de Leite.

Aliás, FHC receberá a agora dupla Leite e Tasso num encontro nesta quarta-feira, em São Paulo. O ex-presidente chegou a anunciar o voto em João Doria nas prévias, em agosto. Nas palavras de Jereissati, no entanto, FHC está "no mínimo torcendo pela nossa caminhada" e sempre votou junto com ele.

- FHC já declarou voto nas prévias, mas ele sabe que era para presidente da República ele vai votar em Eduardo Leite -, declarou Rodrigo Castro, líder do PSDB na Câmara dos Deputados e hoje um dos maiores aliados do político gaúcho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos