Temperaturas recordes na Grã-Bretanha e várias regiões de França

Temperaturas recordes na Grã-Bretanha e várias regiões de França

Na Grã-Bretanha, por estes dias, o mais importante é proteger-se do calor e manter-se fresco.

As atividades quotidianas estão a ser afetadas pela onda de calor. As temperaturas batem recordes. Os parques habitualmente verdes de Londres ficaram castanhos.

Se na segunda-feira foi difícil, esta terça-feira poderá ser pior. Os meteorologistas preveem que os termómetros possam chegar aos 41°.

Os serviços de saúde do país estão sob forte pressão.

A diretora do Departamento do Clima do Centro de Investigação da Universidade de Cambridge, Annela Anger-Kraavi, diz: "Devemos começar a pensar muito seriamente em como nos adaptarmos, porque isto vai acontecer mais vezes agora. Como vemos, incluindo isto, se as últimas cinco temperaturas mais altas ocorreram nos últimos 10 anos, então este é o sinal de que vai haver mais. É uma tendência. Vai ser cada vez mais frequente".

Em Brest, no norte de França, na costa atlântica, o mercúrio chegou aos 39,3°, quatro graus acima do recorde de 35,1° de 2002, e quase o dobro da média habitual para o mês de julho. As altas temperaturas deixaram as ruas vazias e os que arriscaram sair tiveram de encontrar formas de se refrescar.

Um residente comenta: "É o Aquecimento global e tudo isso. Normalmente Brest tem 70% de humidade e aqui batemos todos os recordes de calor, temos de nos questionar seriamente".

Perto da Torre Eiffel, em Paris, os turistas também tiveram de procurar formas de se refrescarem. Hidratação é o melhor conselho, já que a manta de ar quente que cobre grande parte da Europa deve continuar nos próximos dias.

Na Irlanda, o mercúrio atingiu 33° em Phoenix Park, Dublin, 0,3C abaixo do recorde histórico estabelecido em 1887.

Foram registadas temperaturas recordes também nos Países Baixos - 33,6° - com avisos de que o mercúrio poderia atingir 38-39° na terça-feira.

Na vizinha Bélgica as temperaturas também rondam os 40°.

Segundo investigadores da Comissão Europeia, 46% do território da UE está exposto à seca a nível de alerta e muitas culturas já estão a sofrer de falta de água.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos