Tempestade de poeira deixou quatro mortos no interior de São Paulo

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A tempestade de poeira que varreu o interior paulista na tarde desta sexta-feira (1) deixou ao menos quatro mortos em duas cidades. Também houve registro de feridos em decorrência do vendaval, que provocou destelhamento, arrancou árvores, deixou cidades sem energia elétrica e afetou até mesmo o fornecimento de água em algumas localidades. 

Em Santo Antônio do Aracanguá (557 km de SP), três pessoas que tentavam conter um incêndio iniciado após a tempestade, que se alastrou rapidamente em razão da ventania e ficou fora de controle, acabaram mortas em meio às chamas e à fumaça. 

Leia também:

A cidade de pouco mais de 8.000 habitantes fica próxima ao rio Tietê e é vizinha de Araçatuba (520 km de SP), de onde foram enviadas as guarnições dos bombeiros para tentar conter as chamas. 

Enquanto combatiam o fogo, os bombeiros foram informados de que Genival Miguel de Melo, 63, funcionário de uma fazenda, havia morrido em decorrência do incêndio. Na sequência, foram avisados de que outras duas pessoas que tentavam conter as chamas com um caminhão-pipa estavam desaparecidas. Foram encontrados então Gilson Marques de Souza, 55, e Vandeílson da Conceição dos Santos, 32, que trabalhavam em uma usina de álcool. 

Tempestade de areia cobre região de Presidente Prudente na tarde desta sexta-feira (1) - Rosana Battistella/Arquivo Pessoal
Tempestade de areia cobre região de Presidente Prudente na tarde desta sexta-feira (1) - Rosana Battistella/Arquivo Pessoal

Outras duas pessoas que também tentavam apagar o fogo acabaram socorridas. Elas estavam com queimaduras e foram intoxicadas pela fumaça. 

Bombeiros que participaram da ação afirmam que foram surpreendidos pelo chamado para conter o incêndio em Santo Antônio do Aracanguá, porque, no mesmo momento, a cidade de Araçatuba, distante cerca de 30 km, estava diante de um temporal que arrancou árvores e afetou inclusive o fornecimento de energia elétrica. 

Pouco mais de 100 km distante dali, em Tupã (507 km de SP), a tempestade de areia também provocou morte. O trabalhador da construção civil Fábio Castro, 42, concretava uma laje por volta das 13h50, na rua Apiacá, na Vila Abarca, quando uma parede desabou em decorrência do vendaval. Ele ainda foi socorrido pelos bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo foi enterrado neste sábado, no cemitério da cidade. 

Também em Tupã, a ventania derrubou uma tenda onde era realizada a vacinação contra a Covid-19, em área próxima à antiga estação de trem da cidade. Em municípios da região, a velocidade dos ventos chegou a 103 km/h, segundo a Defesa Civil. 

O fenômeno que assolou o interior paulista pela segunda vez em menos de uma semana é conhecido como haboob. A tempestade pode levantar uma parede de poeira de milhares de metros de altura e até 160 km de largura.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos