Tempestades na França provocam uma morte, 15 feridos e 15 mil casas sem luz

Tempestades violentas que atingiram grande parte da França no sábado deixaram uma pessoa morta, 15 feridas e 15.000 casas sem energia, informaram as  autoridades neste domingo.

"Há 15 feridos, dois deles gravemente, e uma pessoa morta em Rouen", informou o ministro do Interior, Gérald Darmanin, anunciando o balanço das tempestades que afetaram os transportes e causaram danos agrícolas significativos.

Na cidade de Rouen (noroeste), uma mulher de 30 anos morreu presa debaixo de um veículo depois de ser arrastada por um "fluxo de lama", disse o ministro.

Entre os feridos gravemente, está um adolescente de 13 anos "em estado crítico", informou Darmanin à imprensa.

No total, cerca de 2.400 bombeiros realizaram cerca de 3.500 intervenções de socorro.

Foram contabilizados 50.000 relâmpagos, acrescentou o ministro.

Segundo Darmanin, "é a primeira vez em 20 anos" que uma parte tão importante do território francês é simultaneamente afetada por tempestades.

Cerca de 15.000 casas ainda estavam sem energia na manhã deste domingo.

O ministro do Interior disse que vai propor que seja decretado "estado de catástrofe natural" para que os atingidos possam agilizar os procedimentos junto às seguradoras.

Em Loir-et-Cher, no centro da França, 30.000 escoteiros reunidos para um acampamento de fim de semana tiveram que ser conduzidos para um local seguro, muitos dentro do castelo de Chambord.

"A tempestade começou por volta das 16h30. Durou alguns minutos, mas foi relativamente forte, e uma rajada de vento derrubou as barracas dos escoteiros", disse um porta-voz, Damien Tardy, à AFP.

"Dez mil jovens, entre 8 e 12 anos, refugiaram-se dentro do castelo com a colaboração da prefeitura", acrescentou.

Na região de Landes e Gers, no sudoeste da França, pedras de granizo do tamanho de bolas de golfe caíram nos vinhedos de Armagnac, disseram produtores e autoridades locais.

Bernard Malabirade, presidente do departamento de agricultura de Gers, disse que a chuva de granizo afetou dezenas de milhares de hectares.

Em Labastide-d'Armagnac (Landes), o prefeito Alain Gaube acredita ter "perdido entre 70 e 90% das vinhas".

"Grande parte das folhas e das uvas está no chão. As uvas que ficaram (no vinhedo) já estão marrons, estão mortas", lamentou.

Os relâmpagos também iluminaram a Bretanha (noroeste), Normandia (norte) e a região de Paris.

Internautas postaram imagens de raios atingindo o topo da Torre Eiffel.

Em Vincennes, a leste de Paris, o festival de música We love green  teve de ser interrompido.

burs-mra-ib-aag/meb-me/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos