Ten Hag crava: Cristiano Ronaldo seguirá no Manchester United

Erik ten Hag bancou a permanência de Cristiano Ronaldo no Manchester United. Foto: Adrian Dennis/AFP via Getty Images
Erik ten Hag bancou a permanência de Cristiano Ronaldo no Manchester United. Foto: Adrian Dennis/AFP via Getty Images

Depois de várias reviravoltas, Erik Ten Hag confirmou a continuidade de Cristiano Ronaldo no Manchester United. Em entrevista coletiva antes da partida da próxima quinta-feira (31) contra o Leicester City pela quinta partida da Premier League, o técnico holandês anunciou que El Bicho continuará no Red Devils e, além disso, expressou que faz parte dos planos da equipe.

"A janela vai acabar assim (com a contratação de Dubravka). É preciso estar sempre alerta, mas vamos de setembro a janeiro com esse elenco. Ofensivamente precisávamos fortalecer o time", disse o técnico do United.

Leia também:

Ao ser questionado sobre a importância do CR7 na equipe após a chegada do brasileiro Antony, o treinador respondeu o seguinte: "É claro que Cristiano faz parte dos meus planos. Precisamos de jogadores de qualidade para todos os jogos", sentenciou.

Além disso, Ten Hag destacou a qualidade individual de seu elenco e o bom início de campeonato: "Temos uma boa base. É o mínimo que temos que fazer. Estou feliz em ver como conseguimos reverter a situação, temos que continuar assim Temos que manter o espírito e a mentalidade vencedora. É preciso ter uma temporada de sucesso", explicou.

No que diz respeito ao mercado de transferências, a equipe de Manchester desembolsou cerca de 238 milhões de euros para reforçar o seu plantel. Os jogadores que trouxeram foram todos indicados pelo treinador.

Os seis jogadores que os Red Devils contrataram para a época 2022/23 foram: Casemiro, Antony, Lisandro Martínez, Christian Eriksen, Tyrell Malacia e Martin Dúbravka.

Dos quatro jogos disputados até agora, Cristiano Ronaldo só foi titular em um, a derrota contra o Brentford por 4 a 0, na pior partida da era Ten Hag. Nos outros três, ele somou um total de 63 minutos (37 contra Brighton, 4 contra Liverpool e 22 contra Southampton).

Seu desejo de querer assinar com uma instituição que participaria da Liga dos Campeões levou a ter a cabeça mais fora do que dentro do campo de jogo. Por esta razão, sua incorporação tardia na pré-temporada aliada à busca de possíveis destinos causou má preparação e, portanto, um início de temporada abaixo do esperado.