Tenista russa Daria Kasatkina assume homossexualidade em entrevista

A tenista russa Daria Kasatkina, atual número 12 do mundo no ranking da WTA, assumiu que tem um relacionamento amoroso com outra mulher durante uma entrevista à Youtuber Vitia Kravchenko publicada nesta segunda-feira, na qual também denunciou a homofobia na Rússia.

'Finalmente eu mesmo': árbitro Igor Benevenuto se declara homossexual

Escócia: árbitros escoceses assumem homossexualidade e pedem 'mudança de clima' no futebol

— É difícil, e não adianta nada ficar muito tempo no armário — afirmou Kasatkina na entrevista, na qual ela diz ter uma namorada. — Enquanto você não assume, você não se sente bem. Depois, fica claro que cada um deve escolher como quer se abrir e até que ponto. O mais importante é estar bem consigo mesmo.

Kasatkina lamenta que a homossexualidade esteja “proibida” na Rússia. A tenista, de 25 anos, nascida em Toliatti, cidade às margens do rio Volga, lamenta que, em seu país, “existem outras coisas mais importantes que são proibidas, por isso não é nada surpreendente".

A tenista admite que “escolher ser gay” torna a vida mais difícil, “especialmente na Rússia”, onde, nesta segunda-feira, um grupo de deputados apresentou um projeto de lei para proibir a difusão de informações “sobre as relações sexuais não tradicionais” entre qualquer pessoa.

Processo: União Europeia leva Hungria à Justiça por lei anti-LGBT+

Em 2013, foi aprovada uma lei que proíbe relações homoafetivas, mas no caso de essas informações serem dirigidas a um público menor de idade.

Várias ONGs de defesa do coletivo LGBTQIAP+ denunciam que essa lei serve para perseguir abertamente os homossexuais, em um país onde o presidente, Vladimir Putin, e a igreja ortodoxa defendem os valores tradicionais frente ao “degenerado” Ocidente.

Poucas horas depois da entrevista, Kasatkina publicou em sua conta no Instagram uma foto ao lado de uma mulher, com apenas um coração como legenda. Trata-se da patinadora Natalia Zabiiako.

'Todos têm o direito de viver e amar': Flamengo publica mensagem em apoio ao Dia Internacional contra a Homofobia

Vencedora de quatro torneios na carreira, o último em 2021, a tenista russa entrou pela primeira vez no Top 10 do ranking da WTA em 2018. Seu melhor resultado em Grand Slam foi na edição deste ano de Roland Garros, onde caiu nas semifinais para a polonesa Iga Swiatek.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos