Tenista suspenso por doping participou de atos terroristas no DF

Tenista brasileiro suspenso por doping, Gilbet Klier, de 22 anos, esteve nos atos terroristas no Distrito Federal, neste domingo, e compartilhou o momento em uma rede social. O atleta estava acompanhado da namorada, Vitoria Gonçalves. Com a repercussão negativa do caso, Klier apagou o registro e se retratou publicamente, afirmando que não compactua com as ações de bolsonaristas radicais.

Uma das fotos compartilhadas por Vitória mostrava uma faixa escrito "intervenção".

Atos terroristas no DF: acompanhe a movimentação um dia após a invasão de bolsonaristas a Praça dos Três Poderes

Prisões: quase 300 já foram presos por crimes como lesão corporal, porte de arma branca, desacato; três adolescentes estão na lista

Confederação Brasileira de Futebol: em nota, CBF 'repudia veementemente' o uso da camisa da seleção em atos terroristas em Brasília

"Lamentavelmente fiz um registro de um ato que não compactuo. Peço desculpas àqueles que me interpretaram de forma a apoiar algo lamentável. Eu não imaginava os desdobramentos do que se passaria ali. Tão logo tomei conhecimento que se tratava de ato criminoso de depredação de prédios públicos e tentativa golpista contra a democracia brasileira, fiz questão de retirar as imagens do meu perfil", escreveu o atleta.

Em junho do ano passado o tenista foi suspenso temporariamente em um caso de doping. Na época, Klier se mostrou surpreso com o resultado do teste antidoping e afirmou que em nenhum momento foi "imprudente ou negligente" nesse caso ou durante toda a sua carreira.

O atleta não disse como a substância SARM S-22, usada principalmente para ganhar massa muscular, entrou em seu corpo, mas reforçou que estava trabalhando junto com sua equipe e seus advogados para comprovar sua inocência e voltar a competir o mais rápido possível.