Tensão com a China diminui, diz secretário de Estado americano

O chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, indicou nesta sexta-feira que a tensão com a China diminui, mas voltou a expressar preocupação com Taiwan.

Questionado durante um debate na Universidade de Chicago se a temperatura com o gigante asiático havia diminuído, Blinken respondeu: “Acredito que sim, porque, quando você discute, quando você se compromete, tende a ter esse efeito.”

“O restante do mundo espera que conduzamos essa relação com responsabilidade, porque outros países sabem que também são afetados", ressaltou o secretário de Estado, que viajará a Pequim no mês que vem, segundo um funcionário americano.

Blinken, no entanto, expressou preocupação com Taiwan, citando as tentativas de Pequim de isolar a ilha - considerada por funcionários chineses parte do seu território - e uma série de manobras militares.

"O que vimos nos últimos anos é, acredito, que a China decidiu que não está mais confortável com o statu quo" na ilha, disse o secretário. "Vocês (China) dizem que se trata de uma questão de soberania, e nós dizemos que se trata diretamente dos Estados Unidos e do restante do mundo", acrescentou Blinken, citando o papel crucial de Taiwan na economia mundial com a fabricação de semicondutores.

str-sct-lb/ube/atm/ag/lb