Tentativa de assalto na Sé termina com loja invadida, tumulto e suspeito esfaqueado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma confusão na praça da Sé na noite deste domingo (19) deixou pelo menos três pessoas feridas. Um casal foi agredido em uma tentativa de assalto e um adolescente suspeito foi esfaqueado.

Durante a confusão, segundo relatos e imagens de vídeo, a GCM (Guarda-Civil Metropolitana) usou bombas de gás para dispersar pessoas em situação de rua que estavam no local para receber cobertores na tenda da operação Baixas Temperaturas, da prefeitura. A gestão municipal admite que houve "uso moderado e progressivo da força", sem especificar quais armas foram utilizadas.

Segundo a prefeitura, os guardas-civis se depararam com uma agressão e tentativa de assalto a um casal que passava pela região enquanto faziam a segurança da tenda.

O boletim de ocorrência aponta que o casal foi abordado e cercado por um grupo de cerca de dez pessoas, entre as quais havia pelo menos um adolescente. Foram agredidos com chutes e pedras e chegaram a ser ameaçados com uma faca.

Ainda segundo o registro, uma das vítimas conseguiu se livrar dos assaltantes e usou um canivete para se defender, ferindo um adolescente que participava da ação. O jovem foi socorrido e está internado no Hospital Ipiranga. Não há informações sobre seu estado de saúde.

Após escapar, o casal se buscou refúgio no mercado Oxxo, também na praça da Sé. O grupo tentou invadir o local para chegar até o casal, levando a depredação e saque do mercado.

Com a chegada dos guardas-civis, a maior parte do grupo conseguiu escapar, mas um homem de 18 anos, apontado pelas vítimas como sendo um dos assaltantes, foi detido em frente ao mercado. Um vídeo que supostamente registrou o momento da chegada da GCM mostra pelo menos dois guardas usando cassetetes contra as pessoas que corriam para fora da loja.

De acordo com a prefeitura, parte do grupo que participou do assalto começou a jogar pedras e outros objetos contra guardas-civis. "Diante do tumulto, os guardas fizeram o uso moderado e progressivo da força, a fim de garantir a integridade física e a segurança das vítimas e dos agentes da GCM", diz a nota.

Um vídeo divulgado pelo Observatório Aporofobia e pelo padre Júlio Lancellotti, supostamente gravado neste domingo, mostra o momento em bombas de gás são atiradas na direção de pessoas em situação de rua na praça da Sé.

Questionada, a Polícia Civil diz desconhecer a procedência do vídeo e informou que, até o momento, não é capaz de apontar a data em que foi gravado.

Já o padre Lancellotti, da Pastoral do Povo da Rua, afirma que o vídeo foi enviado a ele pela sua rede de contatos que acompanha a situação de pessoas em situação de rua na capital.

Em um dos vídeos é possível ver a explosão de uma bomba perto de uma equipe de socorristas, que foi pega de surpresa e acabou derrubando uma maca -um homem amarrado a ela vira o corpo para se proteger.

De acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública), o caso foi registrado no 8º DP (Brás) como dano, lesão corporal, tentativa de roubo e tentativa de ato infracional de roubo. O canivete utilizado pela vítima do assalto foi apreendido para perícia.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do suposto assaltante detido devido ao fato de ser "morador de rua e usuário de drogas, o que não permite sua localização para eventuais diligências da persecução penal e para futura execução da pena".

Procurada, a rede de mercados Oxxo preferiu não se pronunciar sobre o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos