Tentativas de fraudes no comércio eletrônico crescem 83% em um ano; confira 10 dicas para evitar golpes

Extra
·2 minuto de leitura

Somente nos três primeiros meses do ano o comércio eletrônico brasileiro sofreu 600.926 tentativas de fraudes apenas no primeiro trimestre de 2021, um aumento de 83,7% em relação a igual período de 2020. Ao todo, neste período, o e-commerce registrou mais de 37 milhões de pedidos de compras. Os dados são da empresa ClearSale, especializada em antifraudes nos mais diversos segmentos, entre eles o e-commerce.

Além disso, a pesquisa indica que a maior parte das tentativas foi feita para compra de celulares pela internet. Segundo especialistas, as tentativas de golpes cresceram na esteira da popularização do comércio através da internet durante a pandemia e o período de isolamento social, e do fechamento de lojas físicas.

De acordo com o levantamento, se as mais de 600 mil tentativas de fraudes tivessem sido efetivadas, o prejuízo chegaria a R$ 679,2 milhões um aumento de 105,7% na comparação com os R$ 330 milhões em tentativas de golpe no e-commerce no mesmo período do ano passado, quando ainda não havia isolamento social. Isso indica que os fraudadores passaram a ter como alvo produtos mais caros de um ano para outro, possivelmente por conta do cenário de pandemia.

Outro dado que chama a atenção é que o valor médio dos produtos alvos das tentativas de fraude são maiores do que os gastos das compras feitas pelos consumidores reais. Segundo o levantamento da ClearSale, o tíquete médio dos produtos cuja fraude foi evitada em 2020 foi de R$ 1.009, contra R$ 1.130 em 2021. Já o tíquete médio das compras legítimas foi de R$ 455, em 2020, e de R$ 527, em 2021.

— O tíquete médio das tentativas de fraudes é maior porque os fraudadores não pagarão pelos produtos e o interesse deles é a revenda para transformar em dinheiro — explica o diretor de marketing da ClearSale, Omar Jarouche.

Viu isso?

Produtos

No primeiro trimestre de 2021, os celulares responderam por 8,63% dos produtos que os fraudadores tentaram obter ilegalmente via e-commerce. Depois deles, estão ar-condicionado (6,31%), eletrônicos (5,48%), bebidas (5,27%) e alimentos (3,79%).

Observando por estados e regiões, pelo segundo ano seguido, considerando os balanços de primeiro trimestre, a região Norte é a que tem, em números proporcionais, a maior quantidade de tentativas de fraude. Nesta região, 3,99% dos pedidos no e-commerce são tentativas de fraude, contra 1,60% dos pedidos no Sudeste e 2,14% no Centro Oeste. No primeiro trimestre de 2020, 4,43% dos pedidos na região Norte eram tentativas de fraude.

Confira 10 dicas da Febraban para fazer compras seguras no e-commerce: