Terceira dose da CoronaVac aumenta efetividade da vacina de 56% para 80%, mostra estudo

·2 minuto de leitura
A health worker shows a vial of the CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people on the streets in Sao Paulo, Brazil, on March 30, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Estudo mostra que aplicação da terceira dose da CoronaVac aumenta proteção da vacina contra novos casos de covid-19 de 56% para 80% (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
  • Terceira dose da CoronaVac aumenta efetividade da vacina de 56% para 80%, mostra estudo

  • Estudo foi feito no Chile e mostrou aumento da efetividade da CoronaVac com terceira dose do mesmo imunizante, também da Pfizer e da AstraZeneca

  • Vacinas também aumentam efetividade para prevenção contra hospitalizações

A terceira dose da CoronaVac pode aumentar a eficácia da vacina contra a covid-19 de 56% para 80% após 14 dias da aplicação. É o que mostra um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde do Chile nesta quinta-feira (7).

Para prevenir a hospitalização, o uso da CoronaVac também garante maior proteção: o aumento da efetividade contra hospitalização com a terceira dose vai de 84% para 88%.

Leia também:

Os índices são similares aos resultados da aplicação das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, sempre após 14 dias. Todos os participantes do estudo tinham mais de 16 anos, sem histórico de contaminação por covid-19 e receberam CoronaVac como duas primeiras doses.

Aumento da eficácia para prevenir novos casos de covid-19

  • CoronaVac: de 56% a 80%

  • Pfizer: de 56% a 90%

  • AstraZeneca: de 56% a 93%

Aumento da efetividade contra novos casos de covid-19 após 14 dias da terceira dose (Foto: Reprodução/ Ministério da Saúde do Chile)
Aumento da efetividade contra novos casos de covid-19 após 14 dias da terceira dose (Foto: Reprodução/ Ministério da Saúde do Chile)

Aumento da eficácia para prevenir hospitalizações

  • CoronaVac: de 84% a 88%

  • Pfizer: de 84% a 87%

  • AstraZeneca: de 84% a 96%

Aumento da efetividade contra hospitalização após 14 dias da terceira dose (Foto: Reprodução/ Ministério da Saúde do Chile)
Aumento da efetividade contra hospitalização após 14 dias da terceira dose (Foto: Reprodução/ Ministério da Saúde do Chile)

Como foi feito o estudo

A pesquisa incluiu um total de 11,2 milhões de pessoas. Entre elas, 1,3 milhão não estavam vacinadas, 700 mil tinham uma dose de vacina, 7,1 tinham duas doses da vacina 2 milhões tinham três doses de alguma vacina contra a covid-19. Ao todo, foram identificados 500,1 mil casos de covid entre os participantes do estudo.

No Chile, apenas pessoas que receberam as duas primeiras doses da CoronaVac receberam a dose adicional. Como doses de reforço, foram aplicados os imunizantes da SinoVac, da Pfizer e da AstraZeneca.

Entre os participantes do estudo, 371 mil pessoas tomaram a dose de reforço da Pfizer, enquanto 1,5 milhão receberam da AstraZeneca e 140 mil da CoronaVac.

A conclusão do estudo é que as três vacinas utilizadas como reforço são capazes de aumentar a efetividade contra novos casos de covid-19 e contra hospitalizações de forma significativa. “Os resultados reafirmam a decisão de indicar a dose de reforço para toda a população, seguindo os critérios de priorização”, afirma o Ministério da Saúde do Chile.

A partir do dia 12 de outubro, o país vai começar a dar a dose de reforço para pessoas que receberam os outros imunizantes aplicados no país: Pfizer, AstraZeneca e Cansino. A dose adicional aplicada, inicialmente, será a da Pfizer. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos