Ataque talibã à rede elétrica deixa maior parte de Cabul às escuras

Cabul, 26 mar (EFE).- Cerca de 80% de Cabul permanece nesta segunda-feira às escuras depois que os talibãs explodiram durante a madrugada uma torre de alta tensão, enquanto as autoridades tentam restabelecer o fornecimento de energia, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

A torre atacada, situada no distrito de Kilagai, na província de Baghlan (nordeste), transmitia cerca de 300 megawatts (MW) à capital afegã e às províncias vizinhas desde o Uzbequistão, segundo o chefe adjunto de Operações da autoridade reguladora da eletricidade (DABS), Nangialai Myakhil.

Myakhil indicou que o grupo insurgente atacou a torre por volta das 2h local (18h30, em Brasília), e precisou que cerca de 20% da capital está recebendo eletricidade, principalmente hospitais e edifícios governamentais.

Uma equipe técnica enviada para restabelecer o fornecimento elétrico não conseguiu chegar, por motivos de segurança, até a torre de alta tensão destruída, acrescentou.

Os talibãs ameaçaram há uma semana cortar o fornecimento elétrico de Cabul se o Governo não aceitar o pedido para melhorar os serviços elétricos nas áreas sob controle insurgente.

"Até que as nossas legítimas demandas sejam satisfeitas, o Emirado Islâmico (como se autodenominam os talibãs) manterá o corte elétrico a Cabul, que acolhe todas as grandes bases e centros dos invasores e inimigos nacionais, a responsabilidade cai sobre as autoridades do regime de Cabul", disseram então em comunicado.

O Afeganistão tem uma das taxas de acesso à eletricidade mais baixa do mundo e apenas 25% e 33% da população está conectada à rede, segundo um relatório recente do Inspetor Especial Geral para a Reconstrução do Afeganistão (SIGAR), do Congresso dos Estados Unidos.

O país asiático atravessa um de seus períodos mais sangrentos desde que em janeiro de 2015 a Otan colocou fim à sua missão de combate no país, onde segue com tarefas de treino e assessoria às forças afegãs. EFE