Termina a construção do primeiro satélite centro-americano

Primeiro satélite costa-riquenho, fotografado no Instituto Tecnológico da Costa Rica (TEC), em San José, no dia 24 de agosto de 2017

Cientistas costa-riquenhos terminaram a construção do primeiro satélite desenvolvido na América Central, que será enviado ao espaço para um projeto de redução das emissões de carbono, informaram nesta segunda-feira (23) autoridades responsáveis pelo projeto.

O satélite, chamado Projeto Irazú, ficou pronto para seu envio ao Instituto Tecnológico Kyutech, localizado no Japão, onde será submetido a testes antes do lançamento, programado para 2018.

O dispositivo foi construído em conjunto pela Associação Centro-americana de Aeronáutica e do Espaço (ACAE) e pela instituição pública Instituto Tecnológico da Costa Rica (TEC), que anunciaram a conclusão do projeto durante uma coletiva de imprensa em San José.

"Hoje é um dia histórico para (Costa Rica) e a América Central", declarou Carlos Alvarado, presidente da ACAE. "Nossa intenção é desenvolver a tecnologia espacial para promover a paz e gerar prosperidade no mundo", acrescentou.

O satélite do tipo CubeSat1U foi desenvolvido para ajudar cientistas costa-riquenhos a reunir informações sobre os esforços realizados pelo país para reduzir as emissões de carbono.

Para isso, o satélite se ligará a uma estação remota do TEC em uma área do norte de San Carlos, onde serão colocados sensores para monitorar o crescimento das árvores, os quais estarão ligados a uma antena que se conectará com o satélite duas vezes ao dia quando ele passar pela Costa Rica, visando extrair informações que servirão para calcular os níveis de fixação de carbono, segundo os autores do projeto.

"Após chegar ao Instituto Kyutech, o satélite será submetido a estudos que simulam as extremas condições de lançamento e do entorno orbital, da maneira mais realista, para que possamos garantir seu ótimo funcionamento no espaço", explicou Luis Diego Monge, gerente de projetos da ACAE.