Termina a investigação dos atentados de Paris em 2015

(Arquivo) No dia 13 de novembro de 2015, nove homens provocaram uma noite de terror em vários pontos da capital francesa e no subúrbio Saint-Denis. Os atentados deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos.

Os juízes de instrução responsáveis pela investigação dos atentados de Paris em 13 de novembro de 2015, nos quais morreram 130 pessoas, concluíram a investigação, afirmou à AFP uma fonte judicial.

Após o fim das investigações começa um prazo de um mês, durante o qual cada parte fará observações e a Procuradoria nacional antiterrorista emitirá sua acusação.

Posteriormente, os juízes se pronunciarão sobre a celebração de um julgamento em Paris, mas que não acontecerá antes de pelo menos um ano.

No total, 14 pessoas, 11 delas detidas, são suspeitas de vínculos com os atentados reivindicados pelo Estado Islâmico (EI).

Salah Abdeslam, detido na França, é o único membro dos três comandos de jihadistas que executaram os ataques contra bares, restaurantes e uma casa de espetáculos que ainda está vivo. Ele foi detido na Bélgica há três anos e meio.

Outros seis suspeitos, alguns deles supostamente mortos a Síria ou Iraque, como os irmãos Clain, são objetos de uma ordem de prisão internacional.

No dia 13 de novembro de 2015, nove homens provocaram uma noite de terror em vários pontos da capital francesa e no subúrbio Saint-Denis. Os atentados deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos.

Os atentados do "13-N" são os mais violentos da história recente da França.