Terremoto na Albânia deixa ao menos 49 mortos e milhares de deslocados

O terremoto de 6,4 graus que sacudiu a Albânia antes do amanhecer de terça-feira foi o mais mortal e destrutivo em décadas

Pelo menos 49 pessoas morreram e mais de 5.000 perderam suas casas no violento terremoto que atingiu a Albânia na terça-feira, de acordo com um novo balanço divulgado sexta-feira pelo primeiro-ministro Edi Rama.

O terremoto, com intensidade de 6,4, foi o mais violento dos últimos cem anos na Albânia e ocorreu antes do amanhecer, em um horário em que as pessoas dormiam em casa.

Prédios inteiros desabaram e pessoas ficaram presas nos escombros.

As cidades de Durres, um ponto muito turístico localizado na costa do Adriático, e Thumane, norte de Tirana, foram particularmente afetadas.

Os socorristas concentram seus esforços nesta sexta-feira em Durres, onde ainda há desaparecidos.

O terremoto também deixou um saldo de 750 feridos. Entre os mortos, segundo o chefe de governo, há famílias inteiras.

"Quarenta e cinco pessoas foram resgatadas com vida dos escombros", acrescentou Rama.

Em Tirana, capital, mais de 70 prédios e 250 casas sofreram danos significativos.

Os Balcãs experimentam forte atividade sísmica devido aos movimentos das placas tectônicas africanas e eurasianas, bem como os da microplaca do Adriático.