Terremoto no Haiti deixa mais de 2.200 mortos

·1 minuto de leitura
Um homem joga um saco de arroz para a multidão durante a distribuição de ajuda humanitária às vítimas do terremoto de 14 de agosto no Haiti, em Los Cayos, em 20 de agosto

O número de mortos no Haiti pelo terremoto de 14 de agosto subiu para 2.207, anunciaram no domingo (22) as autoridades do país caribenho, onde a ajuda chega lentamente às áreas afetadas devido à violência das gangues.

“Novos corpos foram encontrados no sul. O balanço dos três departamentos já sobe para 2.207 mortos, 344 desaparecidos e 12.268 feridos”, diz o relatório da Proteção Civil publicado no domingo.

A contagem anterior era de 2.189 mortos.

Oito dias após o desastre, as operações de busca continuam nos escombros, mas a chance de encontrar sobreviventes diminui a cada hora.

Cerca de 600 mil pessoas foram diretamente afetadas pelo terremoto de magnitude 7,2 e precisam urgentemente de ajuda humanitária, segundo as autoridades haitianas.

Levar comida e água para as pessoas afetadas é um desafio logístico em face dos ataques criminosos nas estradas.

"Temos um problema de segurança que está cada vez mais evidente", disse à AFP Jerry Chandler, diretor de Proteção Civil do Haiti.

Desde o início de junho, é impossível percorrer com segurança o trecho de dois quilômetros da rodovia federal que corta a área de Martissant, um bairro pobre de Porto Príncipe, capital do Haiti, e um campo de batalha para gangues.

Com destruição e danos particularmente graves em áreas rurais remotas, as autoridades haitianas estão se concentrando na entrega de ajuda humanitária por via aérea, por meio de um helicóptero da ONU e oito aviões fornecidos pelos exército americano.

amb/rle/yo/mr/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos