Terreno de obra da Havan tinha cerâmica indígena e louças do século 19

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jair Bolsonaro e Luciano Hang - Foto: Divulgação/PR
Jair Bolsonaro e Luciano Hang - Foto: Divulgação/PR
  • Vinte achados arqueológicos foram encontrados no terreno onde foi construído uma unidade da Havan

  • Bolsonaro confirmou ter demitido servidores do Iphan que interditaram obra

  • "Tomei conhecimento, ‘ripei’ todo mundo do Iphan", disse o presidente

Vinte achados arqueológicos foram encontrados no terreno onde foi construída uma unidade da rede de varejo Havan, em Rio Grande (RS), a 317 km de Porto Alegre. A loja é comandada pelo empresário bolsonarista Luciano Hang. Na última quarta-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro afirmou ter demitido funcionários do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) após interdição da obra.

Segundo reportagem do portal UOL, entre os itens encontrados estão cerâmicas pré-coloniais de dois tipos diferentes - uma delas de indígenas tupi-guaranis - e pedaços de louças fabricadas no final do século 19. Hoje o material está guardado na Furg (Universidade Federal do Rio Grande).

Os primeiros vestígios arqueológicos no terreno, de acordo com o UOL, foram encontrados em 4 de julho de 2019 pela Archaeos Consultoria em Arqueologia, contratada pela Havan para fazer a análise da área. Na época, havia 152 sítios arqueológicos cadastrados no Iphan-RS apenas em Rio Grande.

Neste dia, foram localizados quatro fragmentos (três deles cerâmicos e um não identificado). No final da análise dos arqueólogos, que durou três meses, foram localizadas 20 peças: 11 de cerâmica, oito de louças e um não identificado.

Feitas por povos indígenas, as cerâmicas encontradas ali são de dois tipos diferentes, da Tradição Vieira e da Tradição Tupi-Guarani. Os objetos podem ter entre 200 a 2 mil anos.

Também foram encontrados fragmentos de uma "possível panela de barro" e três artefatos históricos de faiança fina, uma louça branca, associada a argilas mais plásticas. Porém, diferente dos outros achados, são de um período diferente. Uma delas, com decoração de faixas e friso coloridos na borda, parou de ser produzida nos últimos anos do século 19. Já outros dois tipos passaram a ser produzidos entre 1851 e 1860 e ainda hoje são fabricadas.

A declaração de Bolsonaro foi dita durante evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A fala foi aplaudida pelos presentes no evento.

"Há pouco tempo tomei conhecimento de uma obra de uma pessoa conhecida, o Luciano Hang, que estava fazendo mais uma obra e apareceu um ‘pedaço de azulejo’ durante as escavações. Chegou o Iphan e interditou a obra", disse o presidente, durante seu discurso.

"Liguei pro ministro da pasta (responsável pelo Iphan), e perguntei 'que trem é esse?' Porque eu não sou tão inteligente como meus ministros. 'O que é Iphan, com PH?' Explicaram para mim, tomei conhecimento, 'ripei' todo mundo do Iphan. Botei outro cara lá, o Iphan não dá mais dor de cabeça pra gente", confirmou Bolsonaro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos