Terrorismo em Brasília: nas redes, golpistas apontam infiltrados com base em boatos

Páginas bolsonaristas sustentam que vandalismo foi praticado por esquerdistas

Terrorismo em Brasília: Itens no museu do Senado foram destruídos em 9 de janeiro de 2023, após invasão de bolsonaristas radicais às sedes dos Três Poderes em Brasília, em 8 de janeiro de 2023 (Foto: Getty Images / Andressa Anholete)
Terrorismo em Brasília: Itens no museu do Senado foram destruídos em 9 de janeiro de 2023, após invasão de bolsonaristas radicais às sedes dos Três Poderes em Brasília, em 8 de janeiro de 2023 (Foto: Getty Images / Andressa Anholete)
  • Nas redes, usuários espalham registros de supostos infiltrados esquerdistas nos ato de terrorismo em Brasília do último dia 8 de janeiro de 2023

  • Para reafirmar tese de infiltrados, bolsonaristas espalham boatos e informações falsas

  • Confira o que circulou nas redes

Após golpistas invadirem as sedes dos Três Poderes na tarde deste domingo (8), diversos perfis nas redes sociais passaram a acusar "infiltrados" e "esquerdistas" pelos atos de vandalismo praticados durante as invasões.

Dentre os conteúdos compartilhados no Telegram e em perfis no Twitter, há vídeos de pessoas vestidas de verde e amarelo depredando as sedes dos Três Poderes. Sem provas, bolsonaristas alegam que essas pessoas seriam infiltrados:

Captura de tela de vídeo que circula em grupos bolsonaristas como se mostrasse um infiltrado depredando o Palácio do Planalto em atos de terrorismo em Brasília, no último 8 de janeiro de 2023 (Foto: Reprodução / Telegram)
Captura de tela de vídeo que circula em grupos bolsonaristas como se mostrasse um infiltrado depredando o Palácio do Planalto em atos de terrorismo em Brasília, no último 8 de janeiro de 2023 (Foto: Reprodução / Telegram)

Também circulam vídeos de pessoas que são tidas como infiltradas. Bolsonaristas afirmam que um homem branco com barba, usando um chapéu de palha e óculos escuros que aparece em um vídeo no ato de Brasília é sobrinho do ex-governador de Mato Grosso do Sul e deputado estadual José Orcírio dos Santos, conhecido como Zeca do PT.

"Filho do Heitor Miranda. Sobrinho do Zeca do PT, infiltrado na manifestação hj. em Brasília", diz uma publicação no Twitter.

Captura de tela de vídeo que circula nas redes bolsonaristas como se mostrasse o sobrinho de Zeca do PT infiltrado nos atos de vandalismo do último dia 8 de janeiro de 2023 em Brasília (Foto: Reprodução / Twitter)
Captura de tela de vídeo que circula nas redes bolsonaristas como se mostrasse o sobrinho de Zeca do PT infiltrado nos atos de vandalismo do último dia 8 de janeiro de 2023 em Brasília (Foto: Reprodução / Twitter)

Buscas reversas por frames do vídeo não identificaram o autor da postagem, mas ao comparar o homem na gravação viral a Marcelo Heitor, o sobrinho de Zeca do PT, associado aos atos golpistas, é possível identificar que não se trata da mesma pessoa.

À esquerda, homem que aparece no vídeo que viralizou nas redes e à direita, Marcelo Heitor, sobrinho de Zeca do PT, que alegam ser o homem que esteve presente nos atos golpistas em Brasília,  (Foto: Reprodução / Twitter)
À esquerda, homem que aparece no vídeo que viralizou nas redes e à direita, Marcelo Heitor, sobrinho de Zeca do PT, que alegam ser o homem que esteve presente nos atos golpistas em Brasília, (Foto: Reprodução / Twitter)

Heitor, que se intitula em seu perfil no Twitter como "petista" e "lulista", reagiu aos boatos: "Esse m***a não sou eu! Nem parece comigo!", escreveu. Uma hora depois, ele publicou com um vídeo, reafirmando não ser o homem nas imagens:

"Marcelo Heitor falando [...]. Olha só, está circulando aí uma imagem, um vídeo de um camarada aí que estão falando que sou eu infiltrado nos atos lá em Brasília, obviamente que não sou eu, né, gente?! Eu passei o dia lá em Bonito [MS] com minha namorada, com a minha mãe, com o Braz, meu irmão [...]. Eu jamais estaria misturado lá com esse bando de idiota [...] bandidos, que invadiram Brasília atentando aí contra a democracia".

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.