Tribunal dos EUA absolve viúva de atirador da boate Pulse em Orlando

Orlando (EUA), 30 mar (EFE).- A viúva do autor do massacre de 49 pessoas na boate Pulse em Orlando em 2016, Noor Salman, foi considerada "inocente" nesta sexta-feira de todas as acusações de colaborar com seu marido por um júri na Corte Federal do Distrito do Meio da Flórida, nos Estados Unidos.

Noor Salman, de 31 anos e de origem palestina, foi acusada de acobertamento, obstrução da justiça e ajuda a uma organização terrorista para cometer um crime.

Se fosse considerada culpada, a viúva de Omar Mateen, um americano de origem afegã, poderia pegar prisão perpétua.

Omar Mateen matou a tiros 49 pessoas que estavam em uma festa latina voltada para o público gay na boate Pulse em 12 de junho de 2016 e, antes de morrer por disparos da polícia, jurou lealdade ao Estado Islâmico (EI).

A defesa de Salman tinha pedido ao tribunal que desprezasse as acusações contra ela ou declarasse nulo o julgamento, depois que veio à tona recentemente, por intermédio da procuradoria, que o pai de Omar Mateen, Seddique Mateen, era informante do FBI.

No entanto, o juiz Paul Byron, da Corte Federal do Distrito do Meio da Flórida, rejeitou esse pedido dos advogados, que tinham alegado que o fato de a procuradoria não ter informado sobre esse detalhe envolvendo o pai de Mateen desde o início da abertura do caso contra Salman prejudicou sua defesa. EFE