Terroristas usaram técnica em mensagens para burlar algoritmo; saiba detalhes

Confira tática que perfis bolsonaristas usaram para coordenar invasões em sedes dos Três Poderes

Janela do Congresso Nacional pichada com o termo
Janela do Congresso Nacional pichada com o termo "intervenção", em 9 de janeiro de 2023, após atos terroristas em Brasília, em 8 de janeiro de 2023 (Foto: AFP via Getty Images / Carl de Souza)
  • Na última semana, usuários espalharam mensagens nas redes de convocação para manifestações golpistas que culminaram em ações terroristas em Brasília

  • Para não serem identificados, bolsonaristas usaram a expressão "Festa da Selma"

  • Além disso, o Yahoo! Notícias identificou mensagens escritas à mão usadas para tentar burlar o algoritmo das redes

"Festa da Selma", foi uma das expressões usadas na convocação de bolsonaristas para a invasão das sedes dos Três Poderes no domingo (8). Segundo apuração da Agência Pública, o termo vinha sendo usado há dias por bolsonaristas em redes como o Twitter.

Além do uso do código, o Yahoo! Notícia identificou ordens para usar mensagens escritas à mão enviadas em grupos do telegram que monitora. A técnica foi usada para coordenar os atos golpistas que culminaram em vandalismo e depredação do patrimônio público.

"Atenção! O algoritmo não identifica mensagem escrita à mão. Repassem essa informação", orientou uma usuária identificada como @carolbyme no Twitter. O perfil se tornou privado, mas a mídia foi compartilhada no Telegram e segue disponível:

Captura de tela de publicação que ordenou o uso mensagens escritas à mão para tentar burlar o algoritmo das redes sociais (Foto: Reprodução / Telegram)
Captura de tela de publicação que ordenou o uso mensagens escritas à mão para tentar burlar o algoritmo das redes sociais (Foto: Reprodução / Telegram)

Bolsonaristas escreveram outros recados à mão convocando diretamente para os atos. "A festa da Selma não tem dia para terminar. Preparem-se para acampar, cozinhar e usar os banheiros daí. Não arredem o pé!", dizia uma mensagem no Twitter.

Diferentes mensagens desse tipo, com informações sobre os atos, se espalharam pelas redes: "Endereço Praça dos Três Poderes. Dica do Exército Brasileiro", indicou outro perfil. "Façam faixas e cartazes. Intervenção Militar (nossa última chance, sentem o dedo e repassem", orientou uma mensagem.

Captura de tela de publicações que divulgaram mensagens escritas à mão convocando para os atos de invasão das sedes dos Três Poderes em Brasília (Foto: Reprodução / Twitter)
Captura de tela de publicações que divulgaram mensagens escritas à mão convocando para os atos de invasão das sedes dos Três Poderes em Brasília (Foto: Reprodução / Twitter)