#TerroristasNaCadeia: Parlamentares reagem à prisão de Anderson Torres

Após o ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro e ex-secretário da Segurança do Distrito Federal, Anderson Torres, se entregar à Policia Federal, parlamentares reagiram via redes sociais. Nomes como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder do governo Lula no Congresso Nacional, e os deputados federais Guilherme Boulos (PSOL-SP) celebraram o desfecho da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Na manhã deste sábado, o nome de Torres é o terceiro assunto mais comentado do Twitter.

Investigado por omissão e conivência com os ataques às sedes dos três Poderes que ocorreram no domingo em Brasília, Anderson Torres desembarcou dos Estados Unidos, onde passava férias com a família, e está detido no 4° Batalhão da Polícia Militar, onde passará por uma audiência de custódia às 12h30.

Nas redes sociais, os acontecimentos da manhã deste sábado foram celebrados por parlamentares. No Twitter, Randolfe Rodrigues afirmou que a prisão seria um "recado" para os apoiadores de Jair Bolsonaro. De acordo com o senador, os seus adversários políticos teriam desrespeitados leis e conspirado contra o país nos últimos quatro anos. "Agora não cabe desculpas, cabe responsabilização. O Brasil está dizendo ao mundo que não dará espaço para o golpismo", afirmou Rodrigues.

Na mesma linha de pensamento, a deputada federal reeleita Luizianne Lins (PT-CE) endossou a tese de que seria uma mensagem aos bolsonaristas: "O Brasil não admitirá ataques à democracia", disse junto às tags #TerroristasNaCadeia e #democraciaparasempre.

Os novos integrantes da bancada do PSOL, Chico Alencar (RJ) e Guilherme Boulos (SP), que vão tomar posse em fevereiro, também reagiram na arena digital. Boulos compartilhou a notícia nos stories do Instagram junto à frase "sem anistia". No Twitter, o líder do MTST comemorou: "lugar de golpista é na cadeia".

Já Chico Alencar relembrou a minuta encontrada na residência de Torres pela Polícia Federal. Apelidado de "minuta golpista", o documento sugeria ao ex-presidente Jair Bolsonaro uma espécie de intervenção no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que poderia abrir caminho para uma intervenção no resultado das eleições do ano passado.

As veteranas da bancada, Samia Bomfim (SP) e Taliria Petrone (RJ) também usaram as redes para falar sobre a importância da prisão de Anderson Torres para a identificação dos responsáveis pelos atos terroristas. “Esperamos agora o aprofundamento das investigações sobre o golpismo bolsonarista”, escreveu Taliria.