Tesla corta preços na China e em outros mercados asiáticos após queda nas vendas

Tesla

XANGAI (Reuters) - A Tesla cortou os preços de veículos na China pela segunda vez em menos de três meses nesta sexta-feira, alimentando as previsões de uma ampla guerra de preços em meio ao enfraquecimento da demanda no maior mercado automotivo do mundo.

A montadora norte-americana de veículos elétricos também cortou os preços dos carros Model Y e Model 3 no Japão, Coreia do Sul e Austrália. O movimento é parte de um esforço para ajudar a elevar a demanda pela produção na fábrica da Tesla em Xangai, o principal centro produtivo da empresa, disse uma pessoa com conhecimento direto do plano.

As ações da Tesla caíam 4,5% nas negociações pré-mercado. Esse é o primeiro grande movimento da Tesla desde que nomeou seu principal executivo para a China e Ásia, Tom Zhu, para supervisionar a produção e as entregas globais.

As montadoras há muito recorrem a incentivos para controlar o estoque, mas, até o final do ano passado, a Tesla conseguiu manter os preços estáveis ​​ou até mesmo aumentá-los devido à forte demanda.

Entretanto, em dezembro, o presidente-executivo da montadora, Elon Musk, disse que "mudanças radicais nas taxas de juros" afetaram a capacidade de compra de todos os veículos, novos e usados, e que a Tesla poderia cortar preços para sustentar o crescimento de volume.

A Tesla reduziu os preços de todos os veículos Model 3 e Model Y na China entre 6% e 13,5%, de acordo com cálculos da Reuters com base nos preços do site. O preço inicial do Model 3 foi reduzido de 265.900 yuans para 229.900 yuans (33.427 dólares).

Grace Tao, vice-presidente da Tesla responsável pelas comunicações externas na China, disse no Weibo que os cortes de preços no país refletem a inovação em engenharia e respondem ao apelo de Pequim para incentivar o desenvolvimento econômico e o consumo.

As entregas de carros da Tesla fabricados na China atingiram o nível mais baixo em cinco meses em dezembro, segundo dados divulgados na quinta-feira.

Até agora, não houve nenhum sinal de corte de preços da Tesla na Europa, que também recebe veículos da fábrica de Xangai.

Os cortes ocorreram dias após Pequim encerrar um programa de subsídios ao setor, com a redução da demanda forçando a Tesla e rivais a absorver o peso da mudança.

O China Merchants Bank International disse que a Tesla pode ter que realizar mais cortes de preços, especialmente à medida que a concorrência com os rivais chineses se intensifica.

Sun Shaojun, um popular blogueiro de automóveis na China, disse no Weibo que os cortes de preços da Tesla foram tão grandes que outras montadoras, incluindo a maior rival BYD, terão que responder.

A BYD disse que não comenta sobre os preços dos concorrentes, mas que ajustará os seus de acordo com as mudanças na demanda do mercado.

(Por Zhang Yan e Brenda Goh, com reportagem adicional de Nick Carey)

REUTERS AR PAL