Tesla entregou meio milhão de carros em 2020, mas ficou abaixo da meta da empresa

O Globo
·1 minuto de leitura

NOVA YORK — A Tesla anunciou neste sábado ter entregado quase meio milhão (499.550) de carros em 2020, número melhor que o esperado, mas abaixo da estimativa da própria companhia. As projeções de Wall Street indicavam produção de 481.261 veículos, de acordo com dados Refinitiv, mas a produção é 450 unidades aquém da meta do CEO, Elon Musk.

Musk afirmou no Twitter que estava “orgulhoso da equipe Tesla por alcançar este marco importante”.

“No início da Tesla, pensei que tínhamos (otimistamente) uma chance de 10% de sobreviver”, disse ele.

O preço das ações da Tesla subiu 740% no último ano. A empresa teve lucro em cinco trimestres seguidos e, em dezembro, foi incluída no índice S&P 500.

Os papéis da companhia começaram o ano passado valendo US$ 84,90 fechou 2020 acima de US$ 700 — um ganho de mais de 740%.

Com essa valorização, Musk viu sua fortuna crescer em 2020. Faturou US$ 139,7 bilhões no ano, atropelando Bill Gates, Bernard Arnault e Mark Zuckerberg para se tornar o segundo homem mais rico do mundo, com riqueza estimada em US$ 167,2 bilhões, segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg.

Os analistas do JPMorgan avaliam que as ações estão “dramaticamente supervalorizadas”. Mas o Goldman Sachs tem uma classificação "neutra" para a Tesla. "Acreditamos que a mudança para a adoção de veículos elétricos a bateria está se acelerando e ocorrerá mais rápido do que nossa visão anterior."

Dan Ives, da Wedbush Securities, classifica as ações também como "neutras", antevendo uma inflexão na demanda por carros elétricos que vai ajudar a companhia. “Nossas expectativas são que os veículos elétricos aumentem de “3% das vendas totais de automóveis hoje para 10% em 2025".