Tesouro dos EUA tenta dissipar temores por ofensiva comercial de Trump

Por Douglas Gillison
Secretário do Tesouro Steve Mnuchin na Comissão de Serviços Financeiros da Câmara em 12 de julho de 2018

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, tentou dissipar, nesta quinta-feira (12), as preocupações de muitos legisladores quanto às consequências da ofensiva comercial de Donald Trump.

O pronunciamento de Mnuchin ante um comitê-chave no Congresso se deu um dia depois de o Senado americano apoiar maciçamente uma censura simbólica à Casa Branca, respaldando a imposição de limites legais aos poderes do presidente em matéria comercial.

A votação do Congresso não era vinculante, mas deixou à mostra as grandes diferenças existentes entre Trump e os membros de seu próprio partido, que até então evitaram bloquear suas políticas comerciais.

Bilhões de dólares em produtos hoje estão sujeitos a tarifas de importação, o que fez os preços subirem e pressiona a inflação, causando preocupação entre muitos líderes empresariais.

Economistas já alertaram diversas vezes que uma guerra comercial desestimulará o investimento e o crescimento econômico.

Mas Mnuchin defendeu as políticas comerciais de Trump no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, enquanto os legisladores listaram todos os produtos, trabalhadores e indústrias americanos sujeitos a tarifas.

Presidente do comitê, o republicado Jeb Hensarling, afirmou que as tarifas colocam em risco a independência energética dos Estados Unidos ao elevar os preços dos equipamentos utilizados nos campos petrolíferos.

Mnuchin insistiu que as políticas de Trump acabarão sendo benéficas: "Acho que a intenção é que tenhamos um comércio livre e justo para as empresas americanas", disse. "Estou cautelosamente otimista, mas acho que vamos parar em um bom lugar".

Ele também garantiu estar prestando atenção especial a setores vulneráveis, como o dos grãos.