Testes RT-PCR contra Covid serão divulgados em até 48 horas na capital paulista

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP, (FOLHAPRESS) - Os resultados de testes RT-PCR contra o novo coronavírus na rede municipal de Saúde de São Paulo passarão a ser divulgados em até 48 horas, pela internet, ou em até 72 horas se a pessoa que fez o exame preferir buscar o laudo na própria unidade de saúde.

A norma será publicada nesta quinta-feira (26) em uma portaria para regulamentar um decreto do prefeito Ricardo Nunes (MDB), da última terça-feira (24), que determina a Secretaria Municipal da a Saúde tomar medidas para redução do prazo para apresentação do resultado dos exames RT-PCR para Covid-19 na rede pública.

O decreto, porém, não especifica prazo, por isso a publicação da portaria. Segundo apurou a reportagem, dificilmente o resultado de exames RT-PCR é divulgado antes de 72 horas nas unidades básicas de saúde da capital.

O RT-PCR, também chamado de teste molecular, detecta a presença do material genético do vírus SARS-CoV-2, e é o de referência da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Segundo Guilherme Furtado, líder médico do departamento de infectologia do Hcor, de São Paulo, é importante divulgar o resultado o quanto antes, porque no caso de resultado positivo para a infecção, o doente pode logo entrar em período de isolamento. "O paciente faz o exame, vai para casa e, às vezes, não sabe se está infectado. Ele pode até manter as suas atividades rotineiras e possivelmente infectar mais pessoas", afirma.

Apesar de elogiar a medida, o médico diz que o prazo de 48 horas ainda é longo. "Em laboratórios privados é possível ter o mesmo resultado em até 24 horas", afirma. "Mas já é um grande avanço porque identifica o paciente que está positivo e porventura sintomático."

Segundo Furtado, a avaliação clínica também é necessária. "É importante para entender como o paciente está. Se é assintomático ou pouco sintomático, ou se já tem comorbidades e deveria ser o caso de internação", diz"

Segundo a secretaria, do início da pandemia até 15 de agosto, a rede municipal realizou 3.664.495 testes contra Covid-19 na cidade de São Paulo. Do total, a maioria é do tipo RT-PCR (2.803.306). Os demais são rápidos (500 mil) e sorológicos (361.189),

Dos 1.402.877 infectados com o novo coronavírus na capital paulista desde março do ano passado, 77,85% dos casos foram identificados por meio de exames laboratoriais, de acordo com boletim divulgado pela prefeitura na noite da última terça-feira.

Os demais critérios para confirmação dos casos foram clínicos (20,01%), clínico-epidemiológico (1,62%) e clínico-imagem (0,49%). Também há 370 (0,03% sem informação).

A cidade de São Paulo, que soma mais de 36 mil mortes provocadas pela doença, tinha na terça-feira 638 pessoas internadas com Covid-19, sendo que 359 estavam em leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva).

Para Sérgio Zanetta, médico sanitarista e especialista em saúde pública, é preciso testar também pessoas próximas ao paciente. "A possibilidade de realizar a testagem extensiva nos pacientes e sobretudo nos seus contactantes, é uma das condições para o controle da Covid-19", afirma.

"Temos quase dois anos de atraso na ampliação da testagem e o fato de resultado acontecer só três dias após o teste, e isso que estou falando de pacientes com sintomas clínicos, é um tempo muito grande", afirma ele, que considera tardio o anúncio da redução da entrega dos laudos. "Mas antes tarde do que nunca. Isso é uma questão de organização do fluxo de produção."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos