Thaila Ayala se declara a Renato Góes no dia do aniversário do ator

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.08.2018 - A atriz Thaila Ayala durante a estreia do musical
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.08.2018 - A atriz Thaila Ayala durante a estreia do musical

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Thaila Ayala, 35, contou que o marido, Renato Góes, confidenciou que queria ter um filho com ela antes mesmo de pedi-la em namoro. "Foi um choque para mim, porque eu que nunca tinha pensado em ter um filho saquei ali mesmo que você seria o pai do meu filho", declarou-se a atriz ao ator, ao parabenizá-lo pelo aniversário de 35 anos neste domingo (19).

"E cá estamos celebrando o seu dia, seu aniversário com o maior presente que poderíamos ter. Eu te amo

e te celebro hoje e sempre! Parabéns pelo seu dia e por ser o melhor pai do mundo", finalizou Ayala, postando uma foto de Góes com o filho de ambos, Francisco, que nasceu dia 1º de dezembro.

Paloma Bernardi, Giovanna Lancellotti e Fiorella Mattheis estão entre as celebridades que se manifestaram na publicação da atriz. "Meu amor todinho", retribuiu Góes. Antes mesmo de oficializarem a união, no fim de 2019, ele já afirmava ter pressa para ser pai. "Coitada da Thaila. Desde que eu a conheci digo para ela: 'Neguinha, estou doido para ser pai'", contou o ator ao F5, em janeiro de 2019.

Nesta quinta-feira (16), Ayala disse que teve uma gravidez muito difícil e uma complicação grave no parto. Ela se manifestou sobre o assunto em publicação no Instagram, em que também celebrou os 15 dias de nascimento de Francisco.

"Hoje faz 15 dias que te tenho nos braços, e eu acho que a palavra amor chega a ficar pequena perto de você, é tão para lá de qualquer coisa, que devia ter outro nome", afirmou. Na sequência, Thaila disse que a gestação foi bem complicada e que ainda vai falar sobre o tema com mais calma. Ela acrescentou que teve síndrome de Hellp, um quadro obstétrico grave e raro, e precisou ser submetida a uma cesárea de urgência.

"Não consegui ter relação nenhuma com a barriga, não sentia nada, nada mesmo, pelo contrário, senti tanta dor, passei tão mal que não tinha sentimentos bons. E o medo absoluto me aprisionava, medo de rejeitar, medo de não amar, medo de não ser boa o suficiente, medo de me arrepender, medo de tudo!

E culpa, muita culpa", escreveu na ocasião.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos