Theresa May assina carta que dará início ao Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, assina carta para o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, invocando o Artigo 50, em Londres, em 28 de março de 2017

A primeira-ministra britânica, Theresa May, assinou a carta oficial que enviará na quarta-feira, a Bruxelas, para estipular que o Reino Unido inicie as negociações para deixar a União Europeia, segundo foto divulgada nesta terça-feira.

A foto oficial mostra Theresa May assinando a carta de ativação do artigo 50 do Tratado de Lisboa, que dará início ao Brexit.

A carta viajará do número 10 da Downing Street até Bruxelas, onde o embaixador do Reino Unido na União Europeia (UE), Tim Barrow, a entregará ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, às 11H30 GMT (8H30 horário de Brasília) de quarta-feira.

A primeira-ministra telefonou nesta terça-feira, antes de assinar a carta, para Tusk, para o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e para a chanceler alemã, Angela Merkel.

"Concordaram que uma UE forte beneficiaria todos e que o Reino Unido continuará sendo um aliado próximo", informou Downing Street.

"Também concordaram sobre a importância de entrar nas negociações com um espírito construtivo e positivo, e sobre a necessidade de garantir um processo de saída tranquilo e organizado", acrescentou a fonte.

A assessoria da primeira-ministra também publicou partes do discurso que ela pretende pronunciar na quarta-feira diante dos deputados britânicos, quando anunciar a ativação oficial do Brexit.

"Quando me sentar à mesa de negociação durante esses próximos meses, representarei todas as pessoas do Reino Unido - os jovens e os idosos, os ricos e os pobres (...) - e também os cidadãos europeus que transformaram este país em sua casa", declarará, segundo Downing Street.

"Todos queremos viver em uma Grã-Bretanha realmente mundial que sai e constrói relações com seus velhos amigos e seus novos aliados em todo o mundo".

Para tentar unir seu país, dividido desde o referendo de 23 de junho em que a maioria votou a favor do Brexit, May quer concentrar-se no futuro: "O nosso voto no referendo já não deve mais nos definir, e, sim, a determinação de transformar esse resultado em um sucesso".

"Somos uma grande união de pessoas e de nações com uma história da qual podemos nos orgulhar e um futuro brilhante", insistirá.

A ativação oficial do artigo 50 do Tratado de Lisboa nesta quarta-feira abrirá dois anos de negociações para determinar as condições do Brexit.