Thiago Brennand é denunciado pelo Ministério Público pela 5ª vez

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O empresário Thiago Brennand foi denunciado pela quinta vez pelo Ministério Público de São Paulo pela acusação de estupro. A denúncia foi aceita pelo Tribunal de Justiça, que determinou a terceira prisão preventiva ao acusado na segunda-feira (7).

O processo tramita em segredo de Justiça, e a Promotoria confirmou a nova denúncia. Procurada, a defesa de Brennand, representada pelo advogado Ricardo Sayeg, afirmou que não tem nada a declarar.

Na acusação, os promotores Evelyn Moura Virginio Martins e Josmar Tassignon Júnior apresentaram denúncia contra ele por suspeita de infringir o artigo 213 do Código Penal (constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso), cuja pena é de reclusão de 6 a 10 anos.

Brennand ficou conhecido após agredir a modelo Alliny Helena Gomes, 37, durante discussão em uma academia na zona oeste paulistana. A violência foi gravada. Desde então, ao menos 15 mulheres já o denunciaram por crimes sexuais.

Preso no último dia 13 em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, ele acabou solto após pagar fiança e informar endereço fixo e responde ao processo de extradição em liberdade. O empresário havia a Dubai poucas horas antes de ser denunciado pelo Ministério Público pela primeira vez.

Nesta semana, a Justiça de São Paulo encaminhou documentos para extradição de Brennand traduzidos no árabe para o Ministério da Justiça. Com isso, a pasta pode dar continuidade ao processo de extradição do empresário, que continua no país árabe.

Na nova denúncia, o empresário e herdeiro foi denunciado por suspeita de estupro que teria ocorrido em meados de 2021. Segundo nota publicada pela Promotoria, a vítima afirma que iniciou um relacionamento com o denunciado, que no início mostrou comportamento gentil, mas depois passou a agir de maneira agressiva até chegar ao ponto de obrigá-la a manter com ele relações sexuais.

Além disso, segundo a acusação, o empresário disse ter gravado cenas íntimas da mulher, passando a ameaçá-la com a divulgação das imagens caso ela rompesse o relacionamento.

Nas últimas semanas, Brennand tem publicado vídeos para se manifestar a respeito do caso. No último, ele xinga promotores e advogados envolvidos no caso e nega os crimes de que vem sendo acusado.

Diz ainda que, no Brasil, a maioria das denúncias de assédio sexual é falsa —a tese dele, porém, é refutada por especialistas ouvidas pela reportagem.

As outras quatro denúncias contra Brennand são referentes a uma suposta agressão contra um funcionário do condomínio onde mora em Porto Feliz (SP); a outro relato de agressão contra um motociclista; à suspeita de estupro e tortura a uma antiga namorada; e o caso de Alliny Gomes, em que ele é investigado por suspeita de lesão corporal e corrupção de menor —o filho dele, menor de idade, presenciou a agressão.