De tiktoker a jogador de futevôlei: conheça os quatro netos de Pelé

Pelé está internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, tratando complicações de um câncer no cólon, desde o dia 30 de novembro. No entanto, o ex-jogador não está sozinho nesta batalha e seus familiares o acompanham. Sua mulher foi a primeira a estar ao seu lado, seus filhos foram chegando aos poucos e, recentemente, o Rei teve a visita de seus netos.

Octávio Felinto e Gabriel Felinto, filhos de Sandra Regina, reconhecida como filha do ex-jogador apenas na década de 90. Ela morreu em 2006, e os filhos, que chegaram a jogar na base de clubes importantes, hoje não atuam profissionalmente.

Octávio nasceu em 1998, atualmente joga futevôlei, já participou de alguns torneios e é Sócio Administrativo da empresa esportiva Arantes do Nascimento Sports, junto de seu irmão Gabriel. Este veio ao mundo em 2000 e estuda jornalismo.

Outras duas netas já estavam acompanhando Pelé desde o princípio no hospital. Sophia Nascimento, filha do ex-goleiro Edinho, apareceu ao fundo de uma foto publicada por Kely Nascimento onde ela abraça o Rei do futebol. "Seguimos aqui, na luta e na fé. Mais uma noite juntos", escreveu Kely.

Sua irmã mais velha, Stephany Nascimento, nasceu em fevereiro de 2000 e também acompanha Pelé na luta contra o câncer. Ela é publicitária, estudou na Universidade Santa Cecília, em Santos, faz vídeos para o TikTok e costuma dar dicas de social media nas próprias redes sociais.

No último boletim divulgado pelo Hospital Albert Einstein, no dia 21 de dezembro, foi informado que o Rei teve piora no estado de saúde e precisa de cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca. Ele está internado desde o dia 29 de novembro. Até o momento, não há previsão de novos boletins médicos.

"Internado desde 29 de novembro para uma reavaliação da terapia quimioterápica para tumor de cólon e tratamento de uma infecção respiratória, Edson Arantes do Nascimento apresenta progressão da doença oncológica e requer maiores cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca", diz o boletim, assinado pelos médicos Fábio Nasri, Rene Gansl e Miguel Cendoroglo Neto.