Tillerson tenta aumentar pressão na ONU sobre Coreia do Norte

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, e a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, chegam ao escritório das Nações Unidas, em Nova York, em 28 de abril de 2017

O chefe da diplomacia americana, Rex Tillerson, presidirá nesta sexta-feira uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para tentar endurecer as respostas às ameaças nucleares da Coreia do Norte e pressionar a China a controlar seu vizinho e aliado.

O ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, também participará da reunião, que ocorre após Washington advertir - durante semanas - que não tolerará que Pyongyang realize mais testes nucleares e de mísseis.

Os Estados Unidos pediram à ONU sanções mais severas contra o regime norte-coreano, mas querem que a China assuma as rédeas dos esforços diplomáticos para resolver a crise.

"Discutiremos que medidas poderão ser necessárias para aumentar a pressão sobre Pyongyang para que reconsidere sua atual posição", disse Tillerson em entrevista à Fox News nesta quinta-feira.

Sobre a China, declarou: "colocaremos à prova sua disposição para nos ajudar a abordar esta séria ameaça".

Os membros do Conselho não adotarão qualquer medida, mas os Estados Unidos e seus aliados terão a oportunidade de exortar a China a exercer sua influência sobre Pyongyang.

A Coreia do Norte está tentando desenvolver um míssil de longo alcance para atacar o território americano com uma ogiva nuclear.