Time sensação da China, que já teve Paulinho e Robinho, é rebaixado para a 2ª divisão

O Guangzhou FC perdeu por 4 a 1 para o Changchun Yatai pela 33ª rodada do Campeonato Chinês, na última terça feira, e foi rebaixado para a segunda divisão. O time venceu apenas três partidas na competição e não sabe o que é vitória desde o dia 21 de agosto. Com oito empates e 22 derrotas, a equipe soma 17 pontos e ocupa a penúltima colocação.

A temporada não começou bem para o Guangzhou FC. Ídolo e craque do time, Ricardo Goulart rescindiu seu contrato e deixou a equipe após cinco temporadas. Antes do início do campeonato chinês, eles perderam todas as seis partidas da fase de grupos da Liga dos Campeões da Ásia com 0 gols a favor e 24 contra.

De 2011 a 2019, o Guangzhou FC venceu todas as Superligas Chinesas, exceto 2018, quando ficou em segundo lugar, cinco pontos atrás do Shanghai Port de Wu Lei. No entanto, em setembro de 2021, a imobiliária Evergrande Group, que comprou o clube em 2010 para torná-lo um dos gigantes da China, começou a flertar com a falência e pararam de investir grandes quantias no futebol.

Mas os grandes problemas financeiros não pertecem apenas ao Guangzhou FC. Outros três times da Superliga foram penalizados por conta dessas questões. O Shanghai Shenhua perdeu seis pontos, enquanto o Wuhan FC e o Hebei, nove. Este último é o lanterna da competição e tem -3 pontos somados.

O Guangzhou FC ficou marcado pelo alto poder aquisitivo e começaram a contratar jogadores com nível de futebol europeu. O primeiro foi o argentino Darío Conca, em 2011. Posteriormente chegaram Lucas Barrios, Elkeson, Diamanti, Ricardo Goulart, Alan, Paulinho, Jackson Martínez, Talisca e até Robinho. Entre os técnicos, Felipão, Fábio Cannavaro e Marcello Lippi já comandaram a equipe.