Tiroteio em Paraisópolis vira tema central de debate entre Haddad e Tarcísio

No debate da Globo, Haddad questionou Tarcísio sobre ação de pedir que cinegrafista apagasse filmagens do tiroteio em Paraisópolis (Foto: Reprodução/TV Globo)
No debate da Globo, Haddad questionou Tarcísio sobre ação de pedir que cinegrafista apagasse filmagens do tiroteio em Paraisópolis (Foto: Reprodução/TV Globo)

Durante o debate da TV Globo entre os candidatos ao governo do estado de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos), o tiroteio em Paraisópolis se tornou o tema central e com maior repercussão.

O assunto foi abordado pelo petista já ao final do encontro. Haddad questionou o bolsonarista sobre a atitude de pedir a um cinegrafista para que as imagens fossem apagadas e Tarcísio admitiu que a atitude de um membro da campanha foi “desnecessária”.

“Se você tem uma imagem que você acha que pode colocar em risco a vida de alguém para quem você leva? Você apaga ou leva para alguma autoridade policial? É a autoridade que decide manter ou não em sigilo aquela imagem. Esse procedimento que ele acabou de relatar é um absurdo”, declarou Fernando Haddad.

Tarcísio justificou que o pedido se deu pela preocupação da campanha com a “segurança das pessoas”. A atitude de abordar o cinegrafista foi de um agente licenciado da Abin (Agência Braisleira de Inteligência), a quem Tarcísio classificou como amigo de longa data.

“Esse colega, no final das contas, não tem nada a ver com a inteligência porque ele está afastado da Abin desde 2019, é servidor de carreira e [tem] licença para tratamento particular, como prevê o estatuto dos servidores federais, e ele pediu o seguinte: ‘Apaga isso, apaga aquilo’, por preocupação com a segurança das pessoas, porque lá tinha equipe de comunicação, lá tinha outros profissionais porque a campanha vai acabar, mas a vida das pessoas continua”, disse.

Quando Tarcísio de Freitas esteve na comunidade de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, houve um tiroteio na região. Segundo autoridades, não houve qualquer relação com a visita do candidato. Um suspeito morreu após ser alvo de tiros.