Tiroteios em dois bares deixam ao menos 19 mortos na África do Sul

AFP - IHSAAN HAFFEJEE

A África do Sul foi palco de dois tiroteios que deixaram ao menos 19 mortos e 17 feridos entre a noite de sábado (9) e a madrugada de domingo (10). De acordo com as autoridades, os dois ataques não teriam relação, mas as circunstâncias dos dois incidentes, extremamente violentos, intrigam a polícia sul-africana.

Com informações de Romain Chanson, correspondente da RFI em Joanesburgo, e da AFP

O primeiro tiroteio ocorreu por volta das 20h30 de sábado pelo horário local em um bar do município de Sweetwaters, perto de Pietermaritzburg, no leste do país. De acordo com a polícia, dois homens chegaram em um veículo, entraram no estabelecimento e começaram a atirar de forma indiscriminada contra os frequentadores.

No total, 12 pessoas foram atingidas pelos tiros; duas morreram no local e outras duas não resistiram aos ferimentos e faleceram a caminho do hospital. As vítimas tinham entre 30 e 45 anos.

Para o prefeito de Sweetwaters, Mzimkhulu Thebola, "tudo aconteceu muito rápido", sem discussões ou brigas. "A cada semana ficamos sabendo de pessoas que foram assassinadas sem motivo", afirmou.

Circunstâncias similares

O segundo ataque ocorreu em circunstâncias similares, em uma taverna do município de Soweto, na periferia de Joanesburgo, onde 15 pessoas foram mortas e nove ficaram feridas. A polícia foi acionada pouco após a meia-noite, pelo horário local.

De acordo com testemunhas, um grupo de homens chegou ao local em uma van, todos armados com fuzis e revólveres. Eles entraram no bar e começaram a atirar aleatoriamente contra os clientes.

"Quando chegamos, nos deparamos com doze pessoas mortas, com ferimentos provocados por balas", declarou a policial Nonhlanhla Kubheka. Ela conta que os feridos foram transportados rapidamente ao hospital, mas três deles morreram enquanto eram atendidos pela equipe médica. A maioria das vítimas são jovens, com idades entre 19 e 35 anos.

Até o momento, nenhuma informação sobre a identidade ou a motivação dos agressores foi divulgada. "Eles chegaram e atiraram contra as pessoas que estavam se divertindo", indicou Kubheka. Depois, entraram na van e deixaram o local.

Uma investigação foi aberta e policiais seguem trabalhando no local do crime neste domingo. Centenas de moradores se aglomeraram atrás dos cordões de segurança, à espera de notícias, entre elas, familiares das vítimas.

Banalização da violência

Em um país que se habituou com a violência, a revolta é cada vez maior contra a polícia, acusada de inação diante do aumento da circulação de armas de fogo ilegais e de uma insegurança galopante. As duas tragédias são registradas após as misteriosas mortes de 21 jovens, há duas semanas, em um bar da cidade de East London, no leste da África do Sul.

Os últimos meses foram particularmente violentos no país. Apenas no primeiro semestre, a quantidade de assassinatos aumentou 22% em relação ao memso período de 2021.

No ano passado, a África do Sul foi cenário da mais grave onda de violência desde o fim do apartheid e a chegada da democracia. Em julho de 2021, diversos distúrbios, com saques e vandalismo, deixaram mais de 350 mortos e milhares de detidos, em meio a uma onda de contaminações de Covid-19.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos