Bolsonaro sobre funeral de Elizabeth 2ª: “Todo mundo vai ter um ponto final”

Após participar do funeral da monarca, Bolsonaro irá aos EUA para discursar na Assemlbeia-Geral da ONU - Foto: Chip Somodevilla/Getty Images
Após participar do funeral da monarca, Bolsonaro irá aos EUA para discursar na Assemlbeia-Geral da ONU - Foto: Chip Somodevilla/Getty Images

Em Abadia de Westminster nesta segunda-feira (19), participando do funeral da rainha Elizabeth II, o presidente Jair Bolsonaro (PL), acompanhado da primeira-dama, Michelle, disse que todos teriam ‘um ponto final’, ao comentar sobre a cerimônia do funeral da rainha.

Antes de chegar no local onde o corpo da rainha Elizabeth II é velado por autoridades, Bolsonaro já havia se irritado, ao ser questionado sobre uso eleitoral da viagem e encerrou a breve entrevista de forma grosseira.

“Você acha que vim aqui fazer política? Pelo amor de Deus, faça uma pergunta decente,” disse, antes de virar as costas e sair da casa do embaixador do Brasil no Reino Unido para o funeral da rainha.

Em outro momento, questionado sobre a presença na solenidade, Bolsonaro afirmou que "todo mundo vai ter um ponto final".

"É participar da missa. Ficar calado o tempo todo. Quem crê é lembrar que um dia vai chegar o dia dele. Todo mundo vai ter um ponto final aqui. Todo mundo, sem exceção", declarou.

O candidato à reeleição à presidência da república, acrescentou que, na hora do juízo final, não vai ter ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para "descondenar uma pessoa e torná-la elegível".

O líder do poder executivo se referiu à decisão do STF que anulou as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decorrentes da Operação Lava Jato.

"O julgamento [final] vai ser pelas suas ações e omissões. Todo aquele que trabalhou contra o próximo ou que se omitiu na hora em que poderia ajudar, segundo as escrituras, para quem acredita, vai ter o seu veredito. E lá não tem gente – como alguns do Supremo, já vão falar que eu estou criticando o Supremo – para descondenar uma pessoa e torná-la elegível", disse Bolsonaro.

Além disso, em outro momento, dirigindo-se a apoiadores, Bolsonaro voltou ao tema eleitoral. Depois, mencionou as passeatas que fez no interior de Pernambuco para dizer que acha provável uma vitória no primeiro turno:

“A aceitação é simplesmente excepcional. Não tem como a gente não ganhar no primeiro turno.”