"Todos podem participar": exército cibernético da Ucrânia se mobiliza contra a Rússia

·1 min de leitura

As ofensivas russas contra a Ucrânia também têm sido realizadas no campo da segurança cibernética desde o começo da guerra, em 24 de fevereiro. Vários ataques foram realizados por Moscou, bloqueando bancos ucranianos ou visando os Ministérios das Relações Exteriores, da Defesa e do Interior. Todos os ucranianos são convocados por Kiev a reagir, de novatos na área até mesmo engenheiros de computação.

Por Oriane Verdier e Aabla Jounaïdi, enviadas especiais da RFI a Odessa, na Ucrânia

No computador branco de Andreï, um adesivo azul e amarelo diz: "Exército de Tecnologia da Ucrânia". De sua cidade natal de Odessa, o engenheiro de informática se tornou um soldado neste "exército cibernético". "Quando a guerra começou, o Ministério ucraniano da Transformação Digital organizou um canal de guerra cibernética no aplicativo de conversas Telegram, que conta hoje com quase 300.000 assinantes que ajudam nosso exército", diz ele.

"Por exemplo, pirateamos canais de TV russos e depois usamos várias estratégias de informação para penetrar na mentalidade do povo russo e forçá-lo a ver o que realmente está acontecendo. Se mostramos apenas imagens de guerra e morte, eles não querem acreditar nisso. Portanto, tentamos encontrar as formas corretas de atingir nossos objetivos", acrescenta Andreï.


Leia mais

Leia também:
Zelensky disse não ter medo de Putin e pediu reunião com líder russo para 'pôr fim à guerra'
França vai fornecer canhões e mًísseis antitanques à Ucrânia
Conflito: Secretário-geral da ONU anuncia visita à Rússia e à Ucrânia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos