#TodosPelasVacinas: campanha de cientistas para combater desinformação é impulsionada no Twitter por fãs de K-pop

Louise Queiroga
·3 minuto de leitura

RIO — Até mesmo o doutor em virologia Átila Iamarino, que ficou famoso no Twitter durante a pandemia por suas orientações, ficou surpreso ao ver que a hashtag #TodosPelasVacinas foi caracterizada como "K-pop" ao alcançar o topo dos assuntos mais comentados do microblog nesta quinta-feira, dia 21.

Mas afinal, o que teriam em comum a campanha de vacinação contra Covid-19 — e demais doenças — e os fãs da música pop sul-coreana? A bióloga Ana Beatriz Ramos de Oliveira, uma das organizadores desse movimento científico aberto ao público na segunda-feira, dia 18, responde:

— Eu lembrei dos K-poppers ajudando o Pantanal no ano passado. Quando eles entraram, a campanha foi lá pra cima nos trending topics. Dessa vez pensei: a gente tem que falar com eles. Os K-poppers têm um alcance muito alto. É um universo paralelo. Eles estão sempre ajudando nas campanhas. E toparam, responderam prontamente e, muito gentilmente, se prontificaram a ajudar e prepararam vários materiais de divulgação. Foram muito fofos e solícitos — contou Ana Beatriz, mencionando também terem contatado celebridades como Fábio Porchat e Paola Carossela. — A gente queria que essas pessoas dessem RT, usassem a tag e engajassem para ampliar o acesso ao site.

Diante do apoio dos K-poppers, o pesquisador Rafael Lopes, do Observatório COVID BR e um dos envolvidos no movimento científico Todos Pelas Vacinas, agradeceu o empenho dos fãs do grupo BTS que se mobilizaram por meio de várias fã-bases, a exemplo de BTS Noíicia (@BTSNoticia), Gogo Armys (@gogoarmys_) e Army Help The Planet (@ARMY_HTP), que inclusive também mobiliza ajuda de insumos médicos para hospitais em Manaus e cidades próximas e já contribuiu com doações a ONGs no Pantanal em 2020. Até o momento, para a capital amazonense, foram arrecadados R$ 56 mil, ou seja, 80% a mais do que a meta estipulada (R$ 30 mil). O financiamento coletivo vai até esta sexta-feira.

Nem o Zé Gotinha ficou de fora e surgiu pleno em um vídeo dançando "Dynamite", do BTS:

Ana Beatriz, que comanda também o projeto Divulgar, em que são feitas divulgações científicas para o público leigo nas redes sociais, explicou que houve uma união de forças entre pesquisadores na campanha #TodosPelasVacinas com o objetivo de combater a disseminação de informações falsas.

Para divulgar a campanha, instituições também compartilharam a hashtag, como parte do "tuitaço" mencionado por Ana Beatriz, a exemplo do perfil no Twitter da ONU Brasil e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que fez uma sequência de postagens explicativa sobre o tema.

— Essa rede de colaboração de divulgação científica foi o ápice do que é a união dos cientistas. Todo mundo ali é de graça virando noite para adaptar o site, produzir conteúdo, fazer ilustração, enfim — destacou. — O Todos Pelas Vacinas é uma rede de cooperação entre diversos projetos, diversos grupos de divulgação científica, seja no Twitter, no Instagram, no Facebook. O principal objetivo do site é expandir, ampliar o alcance da informação científica de qualidade, correta, verdadeira, não fake news. E criar um ambiente de interação entre quem quer que entre no site e especialistas.

O site, criado para atender todos os públicos, com acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva, oferece espaço para tirar dúvidas, vídeos, áudios e imagens com informações sobre vacinas, formando um conteúdo amplo a ser difundido através de mensagens nas redes sociais.

— É uma base onde todo mundo pode adquirir conteúdos gratuitos, acessíveis, sobre divulgação, sobre vacinas — no plural. Porque essa campanha inclui a vacina a Covid-19, mas a gente apoia todas as outras vacinas, para todas as outras doenças — acrescentou a bióloga.

Quanto ao K-pop, Ana Beatriz admitiu não conhecer muitas músicas, mas como forma de agradecimento aos fãs do pop sul-coreano, destacou que preparou uma playlist para ouvir mais tarde.