Tom Cavalcante conta que quase se afogou nas gravações de 'Os parças 2'

Luana Santiago

Não é preciso passar nem dez minutos na companhia de Tom Cavalcante, Whindersson Nunes, Tirullipa e Bruno de Luca para perceber que eles traduzem muito bem o título de seu novo filme, “Os parças 2”, que estreia oficialmente amanhã, após duas semanas em cartaz com vastas sessões de pré-estreia.

— Somos parceiros, com certeza. A gente leva para dentro das telas o que vive fora dela. Entre nós é só resenha. No set, era um acordando o outro... Aquela bagunça boa — conta Tirullipa, intérprete de Pilôra.

E mesmo passando o dia inteiro junto no trabalho, o quarteto ainda se reunia no fim do dia para celebrar.

— Estávamos juntos desde a hora em que acordávamos, às 5h da madrugada, até quando acabávamos de gravar. Depois, saíamos para jantar, malhar ou beber — relembra Whindersson Nunes, de volta como Ray Van.

Apesar do clima amistoso entre os astros, a rotina de gravações, que aconteceu durante 45 dias em Itu, no interior de São Paulo, não foi moleza.

— Era puxado estar de pé logo cedo e, à noite, ainda ter que malhar, já que precisávamos aguentar as cenas de ação — admite Tom Cavalcante, o Toin.

Numa dessas sequências, inclusive, o humorista veterano revela ter levado um baita susto:

— Na história, há um momento em que precisei fingir um afogamento no rio. Quando mergulhei pela primeira vez para gravar, deu tudo certo. Mas no segundo take... Cadê que eu voltei (à superfície)?

Por ter um histórico de brincadeiras constantes, nem seus colegas de cena acreditaram na gravidade da situação num primeiro instante.

— Demoramos para ver que ele se afogou de verdade até a diretora, Cris D’Amato, pedir ajuda e gritar “Ele está se afogando mesmo!” — diz Bruno de Luca, que, na pele de Romeu, também enfrentou poucas e boas nas gravações: — Passei mal depois de comer peixe cru. Detesto o cheiro e, sabendo isso, Tom espetava o olho do bicho com a faca para implicar comigo.

Se os perrengues da vida real parecem ruins, os da ficção, então... Na continuação, os protagonistas reformam uma colônia de férias esquisita a fim de levantar dinheiro para Romeu fugir do país, já que ele se tornou alvo da vingança de um criminoso que, com os colegas, colocou atrás das grades no longa de 2017.

— O cara quer acertar as contas com Romeu e com os outros parças — diz De Luca.

Independentemente se vão ou não escapar da enrascada, os rapazes já planejam novas aventuras para seus personagens cômicos.

— A gente pensa na parte três, parte seis... Queremos competir com a franquia “Velozes e furiosos” — brinca Tirullipa.

Abaixo, veja algumas curiosidades sobre o longa:

Presença feminina

A continuação de ‘‘Os parças’’ conta ainda com participações das atrizes Mariana Santos e Fabiana Karla. A apresentadora do “Se joga”, aliás, terá um flerte com Tom Cavalcante no longa.

Objetivos ambiciosos

Caso vire trilogia, o elenco de ‘‘Os parças’’ quer aventuras no exterior. ‘‘Podíamos gravar em Miami ou em Portugal’’, sugere Tom.

Gravações puxadas

Devido às inúmeras cenas de ação, os protagonistas precisaram praticar exercícios todos os dias após as gravações para aguentar o ritmo: “Às vezes, acordávamos bem cedo para treinar, já que o condicionamento físico forte era indispensável. Ficamos muito bem preparados’’, conta Tirulipa.

Primeira vez

Esta foi a primeira vez que Whindersson Nunes, Tirulipa e Tom Cavalcante estiveram em uma colônia de férias, ainda que cenográfica: “Isso de juntar a turminha de pijama não tinha lá no Nordeste. Nossa colônia de férias era um riacho onde subiam uns 35 meninos numa mesma boia’’, relembra Whindersson.